Instituto Nacional do Seguro Social

Concurso INSS 2019: hora de iniciar os estudos!

A concorrência do próximo concurso INSS 2019 será grande, com ofertas para cargos de técnico e analista. Drible as dificuldades com planejamento e organização.

Redação
Publicado em 18/06/2019, às 13h25 - Atualizado às 13h35

Fachada da agência do INSS 2019
Divulgação

O pedido do concurso INSS 2019 (Instituto Nacional do Seguro Social) foi encaminhado no ano passado ao Ministério da Economia e já passou por diversas discussões. Apesar do déficit apresentado pelo órgão, que informa a falta de mais de 22 mil servidores para o atendimento aos serviços oferecidos, o governo não deve autorizar o concurso tão breve.

Porém, a única forma para o preenchimento do quadro de funcionários escassos é através de concursos públicos, por isso, preparar-se com antecedência (devido a grande concorrência) pode ser o melhor caminho para quem almeja conquistar uma das vagas para os cargos de técnico do seguro social ou analista do seguro social.

Para Técnico de Seguro Social, a exigência é que o candidato tenha nível médio, e o salário será de até R$ 5.300. Já a vaga de Analista Seguro Social, que contempla nível superior, prevê salário de até R$ 8.000. 

Aperfeiçoar os estudos

A expectativa para a próxima prova do concurso INSS é que siga o modelo dos concursos anteriores realizados pelo órgão, ou seja, 50 questões de conhecimento geral (42%) e cerca de 70 questões sobre o conhecimento específico (58% da prova). Em média, é necessário que o candidato pontue em torno de 36 questões.

O difícil neste equilíbrio que ronda os dias antecedentes a qualquer prova de concurso público está na organização dos períodos de estudo.

Imagine: o concurso do INSS e o seu tempo disponível para se dedicar a ele.

Pensando em um ciclo de 240 dias, é distribuir a preparação e empenhar cerca de 139 para questões de legislação específica, 36 dias para língua portuguesa e 20 dias para as demais matérias, aquelas para as quais você tenha mais dificuldade. Isso tudo com base na porcentagem e consultas em provas anteriores, relativas a questões de cada uma destas áreas.

Mas será que estou estudando de maneira correta? Consigo dosar meu tempo? Algumas dicas podem auxiliar, e muito.

  1. Evite tudo o que mata seu tempo! O conselho, durante os estudos, é ouvir músicas instrumentais, músicas de concentração, ou até músicas em outros idiomas. Essas medidas irão estimular seu cérebro.
  2. Faça um esquema de 25 minutos de estudo e 5 minutos de folga (ou o tempo adequado ao seu nível de concentração). Assim, não há tempo de dispersão e você encontra o perfeito equilíbrio motivador.
  3. Aproveite o tempo livre para leitura de resumos, apostilas e conteúdos que possam te ajudar nessa caminhada.
  4. Gaste a sua energia de forma correta. Tenha o suporte de um curso que lhe entrega o conteúdo que você realmente precisa saber para conquistar sua vaga. Provas anteriores, videoaulas, apostilas que estejam alinhados aos conteúdo programático. Lembre-se: foco somente naquilo que lhe acrescenta para o concurso INSS.
  5. Preste atenção ao ambiente de estudos: limpo, organizado, com boa temperatura. Isso também influencia no seu desempenho e tempo gasto da maneira correta. Neste momento, nada pode lhe incomodar, exceto a vontade em entender a sua leitura.
  6. Diversifique tarefas: alterne disciplinas de estudos – dê preferência a matérias com conteúdos distintos, para que o conteúdo seja absorvido de melhor maneira.

Prova anterior INSS

Para contribuir com seus estudos, o JC Concursos liberou as provas anteriores do concurso INSS, além dos gabaritos para consulta das questões aplicadas. Atenção aos cargos que serão consultados, devido a alteração do nível de escolaridade e dificuldade das questões.

+ Acompanhe tudo sobre o concurso INSS para os cargos de técnico, analista e médico legista, com novidades, atribuições e conteúdo programático.

Sobre INSS

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), autarquia federal com sede em Brasília (DF), vinculada ao Ministério da Previdência e do Trabalho, tem por finalidade promover o reconhecimento de direito ao recebimento de benefícios administrados pela Previdência Social, assegurando agilidade, comodidade aos seus usuários e ampliação do controle social. O INSS é responsável pelo pagamento da aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente e outros benefícios para aqueles que adquirirem o direito a estes benefícios segundo o previsto em lei. Compete ao INSS a operacionalização do reconhecimento dos direitos da clientela do Regime Geral de Previdência Social (RGPS), que atualmente abrange mais de 40 milhões de contribuintes.

O INSS possui em seu quadro administrativo quase 40.000 servidores ativos, lotados em todas as regiões do país, que atendem presencialmente mais de quatro milhões de pessoas. Conta com cerca de 1.200 unidades de atendimento, as chamadas Agências da Previdência Social (APS), presentes em todos os Estados da Federação. Trata-se de um mecanismo democrático, que ajuda a minimizar as desigualdades sociais. A renda transferida pela Previdência é utilizada para assegurar o sustento do trabalhador e de sua família quando ele perde a capacidade de trabalho por motivo de doença, acidente, gravidez, prisão, morte ou idade avançada. O INSS é uma organização pública prestadora de serviços previdenciários para a sociedade brasileira. É nesse contexto e procurando preservar a integridade da qualidade do atendimento a essa clientela que o instituto vem buscando alternativas de melhoria contínua, com programas de modernização e excelência operacional, ressaltando a maximização e otimização de resultados e de ferramentas que fundamentem o processo de atendimento ideal aos anseios da sociedade em geral.

O INSS tem a seguinte estrutura organizacional: órgãos de assistência direta e imediata ao presidente (Gabinete; Assessoria de Comunicação Social; Coordenação-Geral de Planejamento e Gestão Estratégica; Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação; e Centro de Formação e Aperfeiçoamento do Instituto Nacional do Seguro Social), órgãos seccionais (Procuradoria Federal Especializada; Auditoria-Geral; Corregedoria-Geral; Diretoria de Orçamento, Finanças e Logística; e Diretoria de Gestão de Pessoas), órgãos específicos singulares (Diretoria de Benefícios; Diretoria de Saúde do Trabalhador; e Diretoria de Atendimento) e unidades descentralizadas: (Superintendências-Regionais; Gerências-Executivas; Agências da Previdência Social; Procuradorias-Regionais; Procuradorias-Seccionais; Auditorias-Regionais; e Corregedorias-Regionais).

Comentários

Mais Lidas