Nível superior

ANA faz pedido para concurso com 39 vagas

Agência Nacional de Águas (ANA) planeja realizar um novo concurso com 39 vagas para o cargo de especialista, que exige nível superior e oferece remuneração de R$ 12,3 mil

Yahell Luci Lima
Publicado em 21/08/2015, às 15h27

Em maio deste ano, a Agência Nacional de Águas (ANA) encaminhou um novo pedido para realização de concurso público ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG). A solicitação se refere a abertura de 39 vagas na carreira de especialista.


A assessoria de imprensa do órgão informou que a ANA tem em seu quadro de pessoal servidores das carreiras de especialista em geoprocessamento e especialista em recursos hídricos. Sendo assim, as oportunidades solicitadas podem contemplar ambas as áreas de atuação ou serem destinadas a apenas uma das especialidades. 
A carreira de especialista, tanto em geoprocessamento, quanto em recursos hídricos, exige nível superior. De acordo com a tabela de remuneração dos servidores federais de 2015, o salário oferecido para o posto de especialista corresponde a R$ 12.347,49, já incluindo o auxílio alimentação no valor de R$ 373.
As lotação das oportunidades ainda não foi informada. No entanto, no último concurso da ANA, realizado em 2009, as provas foram aplicadas nas cidades de Aracaju (SE), Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Boa Vista (RR), Brasília (DF), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), João Pessoa (PB), Macapá (AP), Maceió (AL), Manaus (AM), Natal (RN), Palmas (TO), Porto Alegre (RS), Porto Velho (RO), Recife (PE), Rio Branco (AC), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), São Luís (MA), São Paulo (SP), Teresina (PI) e Vitória (ES).
Quanto a divulgação do edital de abertura das inscrições, como a solicitação foi realizada este ano, a autorização só deve ocorrer em 2016. 

Concurso anterior


O última concurso da Agência Nacional de Águas para a carreira de especialista aconteceu em 2009. Na ocasião, foram oferecidas 152 vagas distribuídas nos empregos de analista administrativo (40), especialista em recursos hídricos (100) e especialista em geoprocessamento (12). A banca organizadora do processo seletivo foi a Esaf (Escola de Administração Fazendária).
Os inscritos foram submetidos a realização de duas provas objetivas; uma avaliação discursiva; análise de títulos e experiência profissional; e, por fim, a um curso de formação. 
Os testes objetivos constaram de questões sobre língua portuguesa, inglês, raciocínio lógico, ética na administração pública, recursos hídricos/legislação aplicada, direito constitucional e administrativo e conhecimentos específicos.

Comentários

Mais Lidas