Artigo

INSS: quem tem medo do Lobo Mau (Cespe)?

É exatamente assim que muitos candidatos ao concurso do INSS encararam a definição da banca: como um Lobo Mau prestes a eliminar os personagens desse filme

Cláudia Jones
Publicado em 16/10/2015, às 15h12

É exatamente assim que muitos candidatos ao concurso do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) encararam a definição da banca: como um Lobo Mau prestes a eliminar os personagens desse filme. E é verdade! A banca se torna um verdadeiro Lobo Mau, mas para o candidato oportunista. Ou seja, aquele que viu nesse concurso apenas uma oportunidade de fazer a prova e chutar, na esperança de grandes acertos. Até já me deparei com candidatos que tiveram a "sorte" de acertar questões com apenas um chute. Mas aqui, meu caro, não será assim! Até porque o Cespe/UnB é uma banca para poucos e, me arrisco a dizer, para os "fortes", como os próprios concurseiros se autodenominam. E a quem chamamos de "forte"? Simplesmente aquele candidato que se dedica, se organiza e vê nesse concurso a possibilidade de uma mudança de vida e, assim, encara a preparação como seu projeto de vida! Esse candidato não precisa fugir do Lobo Mau, até porque com um sopro é capaz de derrubá-lo. Estou aqui, claro, fazendo uma analogia a historinhas infantis, mas é assim mesmo que deve ser encarado.
O Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe), que recentemente passou a denominar-se Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), é considerado o terror do concurseiro. Mas garanto que esse ângulo de visão não dura muito tempo, pois quando o candidato amadurece em relação a concursos, ele começa a perceber que fazer provas do Cespe é muito mais seguro, já que sobrevivem apenas os mais bem preparados.
O que assusta muitos candidatos é o perfil do Cespe que, em suas provas, uma questão errada anula uma certa. Mas, cá para nós, quem tem o verdadeiro conhecimento, trabalhado arduamente, saberá o que é certo e o que é errado; e quando houver dúvida, não marcará de jeito nenhum. O Cespe avalia a capacidade de interpretação e raciocínio do candidato, não apenas o conhecimento memorizado.
Se você se encaixa no perfil daquele que começou a estudar há tanto tempo e que dedicou boa parte da sua vida nesses últimos dias em prol de uma preparação fortalecida para esse concurso, não há o que temer! Você encara facilmente o Cespe. É só redirecionar todo aquele conhecimento adquirido ao longo desse tempo e treinado em outras bancas para a banca que vai organizar o seu concurso. O candidato bem preparado está com as rédeas nas mãos para controlar a situação. Não há o que temer, há de se esforçar um pouco mais e treinar, treinar e treinar, pois só com treinamento é que você vai se familiarizar com essa tão temida banca.
Agora, se você pensa que o Cespe é um Lobo Mau, é porque você não tem base o suficiente para encará-lo. Mas ainda, e por sorte, dá tempo de formar essa base, pois esperamos ter ainda um tempinho até a publicação do edital e a aplicação da prova. Tudo vai depender do quanto esse concurso é importante para você. Mãos à obra e determine que a mudança acontecerá a partir do momento que você enxergar aqui, nesse concurso, uma grande possibilidade de vida nova!
Quem já vem estudando há muito tempo, terá um pouco mais de tempo para se ajustar à banca. Se o edital sair por agora, ainda haverá aproximadamente dois meses de estudos. E, para isso, basta colocar na sua rotina a resolução de questões de provas anteriores da banca. Até porque, agora, você já tem o conteúdo sedimentado na sua cabeça, então será mais fácil treinar as questões e ajustar as dificuldades, buscando a teoria como fonte. 
Acredite, você está em um outro nível e tudo aquilo que foi estudado ao longo desse tempo será muito bem-vindo! O desafio aqui será ajustar todo esse conhecimento adquirido ao formato da banca.
E não se esqueça: você tem o controle desse jogo em suas mãos!
Cláudia Jones, especialista em concursos do site Questões de Concursos.

Mais Lidas