Publicado: 13/08/2018 - 09:18 | Atualizado: 14/08/2018 - 11:41

Concurso PF: provas foram remarcadas para 16 de setembro

O edital de convocação, contendo os locais e horários das avaliações, será divulgado na data provável de 6 de setembro no site da banca.

Por JCConcursos - Da Redação

A reabertura das inscrições para cotistas ao cargo de perito - o prazo foi encerrado na última segunda (13) - obrigou a Polícia Federal (PF) a remarcar a aplicação das provas objetiva e discursiva para todas as carreiras, que inicialmente estava prevista para 19 de agosto. O exame foi adiado para 16 de setembro. 

O edital de convocação, contendo os locais e horários das avaliações, será divulgado na data provável de 6 de setembro no site da banca. 

A avaliação objetiva será constituída de 120 itens para julgamento, cada um deles sendo certo ou errado. Já a discursiva contará com a elaboração de texto dissertativo, de até 30 linhas, exceto para o cargo de delegado, cuja prova será a elaboração de peça profissional.

O concurso da PF ainda contará com as seguintes etapas sob responsabilidade do Cebraspe: exame de aptidão física para todos os cargos, de caráter eliminatório; prova oral para delegado, eliminatória e classificatória; prova prática de digitação para escrivão, eliminatória; avaliações médica e psicológica para todos os cargos, eliminatória; análise de títulos para delegado e perito, unicamente classificatória. 

O curso de formação profissional, de caráter eliminatório, será de responsabilidade da Academia Nacional de Polícia, a ser realizado no Distrito Federal, podendo ser desenvolvidas atividades, a critério da administração, em qualquer unidade da Federação. A ordem de classificação obtida no curso será rigorosamente obedecida para efeitos de escolha de lotação para todos os candidatos.

A aplicação das provas do concurso da PF costuma ser feita em todas as capitais, exceto o exame oral, que ocorre somente em Brasília/DF.

Ao todo, a seleção disponibiliza 500 vagas, sendo 150 para delegado, 60 para perito criminal, 80 para escrivão, 30 para papiloscopista e 180 para agente.

APOSTILAS CONCURSO PF 2018 - AGENTE / ESCRIVÃO / PAPILOSCOPISTA / PERITO 
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - PERITO
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - ESCRIVÃO
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - AGENTE 
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - DELEGADO

Cargos do concurso da PF 2018

Para concorrer aos cargos de agente, papiloscopista e escrivão basta possuir curso de nível superior em qualquer área de formação. Para delegado, a exigência do concurso da PF é de diploma, devidamente registrado, de bacharel em direito e, no mínimo, três anos de atividade jurídica ou policial comprovados na data da posse.Por fim, o posto de perito requer nível superior nas áreas de ciências contábeis, ciências econômicas, engenharia elétrica, engenharia eletrônica, engenharia de telecomunicações, engenharia de redes de comunicação, análise de sistemas, ciências da computação, engenharia da computação, informática, engenharia agronômica, geologia, engenharia química, química industrial, química, engenharia civil, engenharia florestal, medicina ou farmácia.

Para todos os empregos, os aprovados também deverão possuir carteira de habilitação a partir da categoria “B”, quando da posse. 

Para os cargos de agente, papiloscopista e escrivão, a remuneração atual é de R$ 12.441, 26, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458. Além disso, as duas categorias contarão com reajuste em janeiro de 2019, subindo para R$ 12.980,50.

Para perito e delegado, o inicial atualmente é de R$ 23.130,48, mas contará com reajuste em janeiro de 2019, quando passará para R$ 24.150,74.

Para todos os cargos, a jornada de trabalho é de 40 horas semanais.

Normalmente, a lotação do concurso da PF é feita preferencialmente nos postos de fronteira e nos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima, permitindo a remoção de pessoal nestas localidades. Obedecidas estas condições, o preenchimento pode ser feito em todos os estados, de acordo com as necessidades. 

Progressão na PF

Para os agentes, papiloscopistas e escrivães, na segunda classe, as remunerações, com o benefício, são de R$ 12.940,69 em 2018, indo para R$ 13.502,41 em janeiro de 2019. Para a primeira classe, R$ 15.067,83 em 2018, indo para R$ 15.725,27 em 2019. Na classe especial, R$ 18.306,60 em 2018, mudando para R$ 19.109,79 em 2019.

Para perito e delegado, na segunda categoria, R$ 23.710,07 em 2018, indo para R$ 24.756,42 em 2019. Na primeira, R$ 27.105,60 em 2018, indo para  R$ 28.304,74 em 2019. Finalmente, na classe especial, R$ 30.062,70 em 2018, indo para  R$ 31.394,91 em 2019.

APOSTILAS CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - AGENTE

Mudanças na carreira

Além da possibilidade de reestruturação na carreira, já  tramita, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal, a proposta de emenda à constituição 73/2013, que prevê a união das atividades dos cargos de perito, escrivão, papiloscopista e delegado dentro de uma nova carreira, chamada de servidor policial federal. De acordo com a proposta, caso aprovada, os candidatos passarão a prestar concurso público unificado e seriam lotados nas unidades da PF de acordo com suas habilidades e áreas de formação. 

O texto prevê a possibilidade de crescimento dentro da carreira unificada, por meio de promoção e progressão funcional, a serem estabelecidas por lei.

De acordo com o senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP), relator da matéria, a carreira única é a forma em que estão estruturadas as instituições policiais de referência no mundo, como o Federal Bureau of Investigation (FBI) e a própria Polícia Rodoviária Federal (PRF). Caso aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça, a proposta já poderá ser encaminhada para votação em plenário, em dois turnos.

Carência de servidores na PF


Mesmo com a perspectiva de novos concursos, a carência de pessoal da PF é considerada muito grande que a perspectiva de vagas. De acordo com dados apontados pelo presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luis Antônio de Araújo Boudens, durante o Fórum Nacional dos Concursos Públicos, realizado em 2017, a corporação conta com uma necessidade de nada menos do que 13.300 servidores. Além disso, segundo ele, caso o concurso para delegados não seja realizado o quanto antes, a carência de pessoal para o cargo pode chegar a 800 servidores nos próximos anos em decorrência de 400 aposentadorias previstas.  

Prepare-se para o concurso da Polícia Federal

O presidente do Fenapref reforça que a maior necessidade na PF é para o cargo de agente que, conta com nada menos do que 6.400 postos em aberto, seguido da área administrativa, com necessidade de 5.300 servidores. Além disso, para escrivães são necessárias 1.200 contratações, além de 400 para papiloscopistas.

De acordo com o sindicalista, o governo cobra a proteção das fronteiras, o que se torna impossível sem que haja um quantitativo de pessoal adequado, bem como investimentos em tecnologia, o que considera impossível com um orçamento decrescente. Além disso, ressalta que o órgão não tem como abrir outras unidades de policiamento pela falta de pessoal para ocupar os respectivos postos. Explica que a PF não abre novas unidades há cinco anos, período no qual apenas foram reformados prédios. “Nenhum gestor tem coragem de abrir novas unidades da Polícia Federal em nenhum local do país, pois não temos efetivos, policiais e servidores administrativos para trabalhar nestas unidades”, diz. "As consequências disso são a não proteção da fronteira e o impedimento do órgão de oferecer um serviço com qualidade".             

Além disso, diz que muitas vezes tem sido divulgado que a Polícia Federal tem feito mais do que fazia antes, o que considera uma mentira. “Nós fazemos menos operações do que fazíamos, mas começamos a chamar de operação aquilo que realmente não é”, diz. “Antes havia um conjunto de ações contra o crime organizado que costumávamos chamar de ações, sempre com uma média de 150 a 200. Hoje qualquer intimação já é chamada de operação. Qualquer ação ordinária é chamada de operação para mascarar a realidade e mostrar que fazemos mais operações do que antes”, diz.

Delegado da Polícia Federal

Boudens aponta que, somente para o cargo de delegado existem, atualmente, 491 vagas em aberto, que a PF tem tentado suprir com a realização do novo concurso. “Isto representa 28% do nosso efetivo, ou seja, um terço do nosso efetivo vago e a consequência é evidente. Como cada delegado poderia fazer umas duas operações por ano, esta realidade representa, no mínimo, 800 operações a menos a cada ano”. Além disso, de acordo com ele, com a reforma da previdência e a possibilidade da extinção do abono de permanência, todo mundo que está com abono de permanência irá se aposentar, bem como aqueles que já possuem condições de pedir aposentadoria. Com isto, de acordo com ele, a perspectiva é de que, em um período de dois ou três anos, mais 400 delegados se aposentem.

A Polícia Federal, de acordo com ele, possui atualmente 180 mil investigações em andamento. “Nem todas as investigações viram ações. Precisamos delimitar as prioridades, mas dentro desta realidade de defasagem de pessoal, nem isto é possível. Por isto, a PF acaba mascarando números e de um total de duas mil por ano, acabamos fazendo aproximadamente 300”.

Dentro de um contexto histórico, diz que em 1978, a PF contava com 500 delegados. Já em 1995, os mesmos 500 delegados. Em 2000, eram 700 delegados no país. “Até então, as principais atividades eram o combate às drogas e garimpo. Mas era uma atividade bastante limitada e uma atuação muito aquém do que poderia ser feito. Em 2001 foi realizado um concurso para 500 delegados, quase dobrando o efetivo. Do concurso até aposse são quase três anos. Isso preocupa, pois como temos quase 400 que podem se aposentar nos próximos anos, se abrir um concurso hoje,ficaríamos com 800 vagas em aberto. Hoje temos 1.717 delegados em atividade. Tivemos concurso em 2001 e 2004 para mais 500 cada, dobrando o efetivo. Mas em 2009, o quadro foi congelado, quando estava com 1.852. Agora estamos em um processo de desmonte”, diz. “Em 2018 devemos voltar ater o efetivo que possuíamos em 2003”, reforça.

Administrativos

Já no quadro administrativo, diz que em 2004 o efetivo foi aumentado. “No FBI, por exemplo, para cada policial existem de seis a sete administrativos. No Brasil é o contrário. Em 2004 o efetivo cresceu, mas depois não foram feitos novos concursos e a PF passou a terceirizar as ações em aeroportos, o que não deu certo. Acabaram as terceirizações,mas não foram repostos os administrativos. Hoje, nosso quadro de administrativos é menor do que o de 2004, ao passo que as atribuições da PF aumentaram”. De acordo com ele, em 2014 aumentou um pouco pela substituição de alguns terceirizados.

Autonomia

O sindicalista ressalta, ainda, que a Polícia Federal conta com decreto de 2014 que permite a realização de concurso sem autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) sempre que a carência de pessoal chegar a 5% do quadro. Porém, diz que, na prática, o decreto não está funcionando, uma vez que para isto é preciso ter orçamento, atestado pelo MPOG. “Não adianta ter autorização para fazer o concurso se não há orçamento para isto”. A solução, segundo ele, seria conquistar a autonomia do órgão. Para isto, já existe, segundo ele, uma campanha neste sentido, desde dezembro de 2015. “Sem a autonomia, não conseguimos avançar. Nós sabemos que, muitas vezes, a Polícia Federal tem por ação investigar atos de desvios praticados por membros do governo. Por isto existe, sim, resistência por parte de grupos no poder, no sentido de controlar as atividades da Polícia Federal e não existe, em nenhum lugar no mundo, uma instituição que tenha por finalidade investigar os atos do governo que não possua autonomia".

Ressalta, ainda, que um avanço foi a lei 13.047, que determina que a direção da Polícia Federal compete aos delegados. “Com isto, conseguimos evitar que alguém de fora da instituição fosse nomeado para a direção geral e das atividades da PF. Até 2014, qualquer pessoa poderia ser nomeada como diretor da corporação. Mas ainda não conseguimos avançar com o fim dos cargos comissionados, que buscamos trocar por funções comissionadas, ou seja,exclusivas para preenchimentos por funcionários concursados de carreira”.

Últimos concursos da Polícia Federal

Com relação aos novos concursos previstos, para agente o último concurso ocorreu em 2014, quando foram registrados 98.101 inscritos para a oferta de 600 vagas. Para escrivão, a última seleção ocorreu em 2012, com 83.619 inscritos para 350 vagas. Para perito e delegado, os últimos certames ocorreram em 2012, com 35.800 inscritos para a oferta de 100 vagas de perito e 46.633 participantes para 150 postos de delegado.Para todos os cargos, a organizadora foi o Cespe/UnB. Para perito, o concurso da Polícia Federal contou com provas objetivas e discursiva, testes de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica e análise de títulos. A parte objetiva teve 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Os aprovados em todas as fases foram submetidos a um curso de formação profissional.
No caso de delegado, o Cespe/UnB formulou provas objetiva e discursiva, exames de aptidão física, exame médico,avaliação psicológica, análise de títulos e prova oral, além do curso deformação. A parte objetiva contou com 120 questões e a discursiva, com três questões dissertativas e elaboração de peça profissional.
Para perito, as opções foram para áreas de ciências contábeis ou econômicas, engenharia em diversas especialidades, ciências da computação, geologia, química, biomedicina, medicina, odontologia e farmácia.  

5 dicas de processo penal para delegado da PF

1. Estude,desde já, para a prova oral. O concurso conta com prova objetiva, prova discursiva e prova oral. É certo que a prova oral é a última delas,porém, para que você esteja bem preparado para uma prova oral, é necessário controle total da matéria. Logo, foque no controle total, lá na prova oral mesmo. Prepare o material, fale sozinho pela casa, ensine tudo sobre tentativa para seu cachorro. Vá por mim: além de estar mirando acima da maçã, você ainda estará fazendo uso de um dos melhores métodos de estudo.    2. A prova da PF provavelmente será feita pelo Cespe, que merece muitos elogios, pois monta as questões com base nas atribuições do cargo a ser provido – quem dera todas as bancas fizessem assim! Considerando que estamos falando de prova para delegado da Polícia Federal, é óbvio que vão despencar questões sobre inquérito policial, visto que a vida do delegado é tocar inquérito para frente. Para você ter uma ideia, no último concurso para delegado da PF, das 26 questões de processo penal, 15 eram sobre inquérito policial. Essas você não pode errar!   3. Ainda com relação às atribuições do cargo, cuidado com o tema “provas”, principalmente a interceptação telefônica, um meio de prova que é recorrente em concursos públicos.    4. A Operação Lava Jato está na mídia há um bom tempo e uma de suas características mais marcantes é a presença de acordos de delação premiada. Estude este tema!   5. Existem duas “polícias” essencialmente judiciárias no Brasil: Polícia Federal e Polícia Civil. Você sabe que as atribuições da Polícia Civil (estadual)são residuais, mas gigantescas, enquanto as atribuições da Polícia Federal são especiais e bem menores. Isto segue o padrão de todos os órgãos que têm paralelos na seara estadual e federal. Tal padrão se reflete no concurso de um modo muito simples: nas provas de órgãos federais, sempre caem questões sobre suas atribuições/competências. No último concurso, foram quatro questões que tangenciaram este tema.   Rodrigo Sengik, professor de processo penal no AlfaCon Concursos Públicos

 


Ads

Polícia Federal - Acreditamos no seu sonho!

Temos as ferramentas para você mudar de vida. O material certo, feito por um time de profissionais especializados.

PREPARE-SE PARA O CONCURSO DA POLICIA FEDERAL 2018

Vídeos Polícia Federal

Atualizado: 14/08/2018 - 10:53

PRF: portaria pode agilizar concurso para 500 vagas

Ministro Jungmann não chegou a dizer que o edital "já pode ser divulgado", como publicado em outros veículos de comunicação

Edital ainda este mês

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, divulgou, por meio de publicação em diário oficial, nesta terça-feira, 14 de agosto, a portaria 122, de 13 de agosto, que delega ao diretor-geral da  Polícia Rodoviária Federal (PRF), Renato Dias, a competência sobre os procedimentos para a realização do aguardado concurso público para o preenchimento de 500 vagas para o cargo de policial rodoviário. O documento pode agilizar a publicação do edital, uma vez que dá maior autonomia ao órgão, no sentido de tomar as medidas necessárias para dar início ao certame. A intenção da PRF é publicar o documento já nos próximos dias, ainda em agosto. Mas para isto ainda precisa definir o nome da banca organizadora, o que pode ocorrer a qualquer momento.

Ao contrário do que foi divulgado em outros órgãos de comunicação, Jungmann não fez qualquer tipo de declaração, dizendo que o edital já pode ser publicado, apenas liberou a portaria que delega poderes ao órgão para que tome as providências necessárias para agilizar o certame.

É preciso lembrar que a PRF já conta com uma minuta de edital pronta, que vem sendo elaborada desde o final de 2016, com o objetivo de permitir que o concurso fosse iniciado imediatamente após autorizado. A autorização, publicada em 27 de julho, determina um prazo de até seis meses para a publicação do edital, ou seja, até 27 de janeiro.Porém, o órgão não deve aguardar este limite para iniciar o certame, tendo em vista que a intenção inicial do ministro da segurança era publicar o documento em junho, o que somente não foi possível em decorrência do impasse pelo aumento da oferta, que acabou atrasando a autorização do MPDG. 


De qualquer forma, o quantitativo não deve suprir as necessidades do órgão. De cordo com o diretor-geral da PRF, Renato Dias, a PRF precisa de 3.000 novos servidores, que podem ser convocados pelo aproveitamento de remanescentes do novo certame, independente da oferta imediata de 500 vagas. O motivo é que, somente em 2018, aproximadamente 2.000 servidores deverão se aposentar.

 

APOSTILA CONCURSO PRF 2018 - POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL

CURSO CONCURSO PRF 2018 - POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL 

APOSTILA CONCURSO PRF 2018 - POLICIAL RODOVIÁRIO

A liberação para o novo concurso da PRF está relacionada ao principal objetivo do novo ministério, criado por Medida Provisória em 27 de fevereiro. No entendimento do governo, a pasta será responsável por coordenar e promover o combate à criminalidade em parceria com os Estados.

Jungmann responde pelo comando da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal (que também teve concurso autorizado para 500 vagas), Força Nacional e pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), antes vinculados ao Ministério da Justiça.

 

Avanços no Ministério do Planejamento e falta de pessoal

 

O próprio diretor-geral da PRF, em declaração à imprensa, em dezembro, confirmou que a corporação pode entrar em colapso caso o concurso não seja realizado no decorrer de 2018. Segundo ele, a carência de pessoal, que atualmente é de 2.800 policiais, deve chegar a 4.800 até o final de 2018, e decorrência de aposentadorias, o que reforça a necessidade de nova seleção para recompor o efetivo, o quanto antes. Ele ressalta que estão previstas 2.053 aposentadorias no decorrer do ano.

Além de prejudicar as atividades operacionais, a falta de pessoal deve acarretar o fechamento de 124 postos no país, caso o concurso não seja realizado, prejudicando aproximadamente 400 municípios, com a suspensão de policiamento em 18 mil quilômetros de rodovias.

De acordo com a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais ( FenaPRF) o órgão tem pretensão de formar quatro novas turmas ainda em 2018. A PRF argumentou em seu pedido que nos últimos quatro anos uma grande quantidade de servidores se aposentou o que deixou uma lacuna de quase 3.000 postos e que isso tem prejudicado a segurança nas rodovias.

No mesmo memorando encaminhado ao Planejamento, foi sugerido que seja autorizado um concurso público sempre que o número de postos vagos exceder a 5% dos respectivos cargos ou com menor número, de acordo com a necessidade e critério do Ministério da Justiça.

 

Sobre o cargo de policial da PRF

Para concorrer ao cargo de policia rodoviário é necessário possuir curso de nível superior em qualquer área de formação, além de carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A jornada de trabalho dos servidores é de 40 horas semanais.

A remuneração inicial da é de R$ 9.931,57, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458.

Além disso, de acordo com a lei 13.371, sancionada pelo presidente Michel Temer em 2016, os servidores contarão com mais um reajuste, em janeiro de 2019, quando o salário passará a ser de R$ 10.357,88, também com o benefício.

 

Atribuições do policial rodoviário

 

Cabe ao servidor da área desenvolver atividades de natureza policial, envolvendo fiscalização, patrulhamento e policiamento ostensivo, atendimento e socorro às vítimas de acidentes rodoviários e demais atribuições com a área operacional do Departamento de Polícia Rodoviária Federal.

 

Último concurso da PRF

 

O último concurso da PRF para o cargo de policial rodoviário ocorreu em 2013 e foi organizado pelo Cespe/UnB. Ao todo foram registrados 109.769 inscritos para a oferta de 1.000 vagas. A seleção contou com prova objetiva, exame discursivo, teste de capacidade física, avaliação de saúde, avaliação psicológica, investigação social e análise de títulos.

A parte objetiva contou com 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Conhecimentos básicos contou com temas sobre língua portuguesa, matemática, noções de direito constitucional, ética no serviço público e noções de informática. Já em conhecimentos específicos, noções de direito administrativo, noções de direito penal, noções de direito processual penal, legislação especial, direitos humanos e cidadania, legislação relativa ao DPRF e física aplicada à perícia de acidentes rodoviários.

 


Ads

Vagas na Polícia Rodoviária Federal

A PRF solicitou 2.778 vagas. Agora só falta a autorização do concurso. Antecipe seus estudos e garanta sua vaga com quem é especialista em aprovação. Passa aqui e aumente suas chances.


 

Atualizado: 13/08/2018 - 09:46

Concurso PM RN: último dia para 1.000 postos de soldado

Do total de ofertas na Polícia Militar do Rio Grande do Norte, 938 são destinadas a homens e 62 a mulheres. Salário oferecido é de R$ 2,9 mil

Nível superior

Por JCConcursos - Samuel Peressin

A Polícia Militar do Rio Grande do Norte (PM/RN) encerrará nesta segunda-feira (13) as inscrições do concurso para soldado (que estava suspenso desde o dia 30 de janeiro). A seleção oferece 1.000 vagas, sendo 938 destinadas a homens e 62 a mulheres.

Para ingressar na carreira é necessário possuir diploma de curso superior, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) categoria "B", idade entre 21 e 30 anos e altura mínima de 1,60m (sexo feminino) e 1,65m (sexo masculino). O salário inicial é de R$ 2.904.

O Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo (Ibade) é o responsável pela organização e execução do processo de seleção. As inscrições devem ser realizadas no endereço eletrônico www.ibade.org.br. O valor da taxa de participação é de R$ 100. 
 

Sobre as provas

 
O certame envolverá sete etapas. Na primeira delas, que será aplicada no dia 23 de setembro, os candidatos farão redação e prova objetiva com 80 questões de múltipla escolha. A realização ocorrerá nas cidades de Natal, Mossoró e Caicó. 
 

• APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA PM/RN - SOLDADO

• CURSO ONLINE PM/RN - SOLDADO

O conteúdo programático engloba língua portuguesa, matemática e raciocínio lógico, geografia do Brasil e do Rio grande do Norte, informática e noções de direito constitucional, direito penal, direito penal militar, legislação extravagante e legislação específica da Polícia Militar/RN.

Além do exame intelectual, o processo seletivo prevê exame de saúde, teste físico, avaliação psicológica, investigação social e análise de títulos.
 
Válido pela última fase da seleção, o curso de formação de soldados terá duração de seis meses, em tempo integral. Nesta etapa, os participantes receberião remuneração mensal de R$ 954.  
 
De acordo com o edital, o concurso será válido por dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do governo estadual.  
  

Atribuições do soldado

1 – Ordinariamente, desempenhar as atribuições da missão constitucional de polícia ostensiva e de preservação da ordem pública através dos seguintes tipos de policiamento em todo o território do Rio Grande do Norte: a) Ostensivo normal, urbano e rural; b) de Trânsito; c) Florestal e de mananciais; d) Rodoviário, nas rodovias estaduais; e) de Rádio Patrulha terrestre e aérea; f) Segurança externa dos estabelecimentos penais do Estado; e g) Outros definidos por lei. 2 – Extraordinariamente, desempenhar as funções inerentes a atividades administrativas internas da PM/RN: a) Auxiliar de serviços gerais (limpeza das dependências dos quartéis); b) Auxiliar de tesouraria; c) Auxiliar de aprovisionamento; d) Auxiliar de almoxarifado; e) Auxiliar de serviço de manutenção; f) Auxiliar de arquivo; g) Auxiliar de serviço de inteligência; h) Digitador; i) Armeiro; j) Auxiliar de relações públicas; e k) outros serviços inerentes à atividade administrativa que sejam determinados pelos superiores hierárquicos conforme as leis e os regulamentos. 3 – Extraordinariamente exercer funções decorrentes de: a) Missão constitucional de Força Auxiliar do Exército Brasileiro; b) Apoio às ações de defesa civil; c) Segurança pessoal de dignitários; e d) outros definidos em lei.
  

O que irá cair na prova

 
Língua portuguesa – Compreensão de textos. Denotação e conotação. Ortografia: emprego das letras e acentuação gráfica. Sinais de Pontuação. Classes de palavras e suas flexões. Coletivos. Verbos: conjugação, emprego dos tempos, modos e vozes verbais. Concordâncias: nominal e verbal. Regências: nominal e verbal. Emprego do acento indicativo da crase. Colocação dos pronomes. Semântica: sinonímia, antonímia, homonímia, paronímia, polissemia e figuras de linguagem. Funções sintáticas de termos e de orações. Processos sintáticos: subordinação e coordenação. Reescrita de frases.
 
Matemática e raciocínio lógico – Conceitos lógicos. Problemas envolvendo correlação entre elementos. Raciocínio lógico envolvendo problemas aritméticos, geométricos, matriciais. Séries e sequências. Progressão aritmética e progressão geométrica. Diagramas lógicos. Teoria dos conjuntos. Análise combinatória. Probabilidade. Lógica argumentativa. Lógica proposicional simples e composta. Álgebras das proposições. Estruturas lógicas: conjunção, disjunção, condicional, bicondicional e negação. Equivalência lógica. Leis de Morgan. Tabela verdade: tautologia, contradição e validações. Silogismo categórico e hipotético. Porcentagem. Regra de três simples e composta, Razão e proporção, e análise de gráficos e tabelas.
 
Geografia do Brasil e do Rio Grande do Norte – Fuso horário brasileiro. Estados e Regiões do Brasil: localização, limites, território. Principais unidades de relevo do Brasil e do Rio Grande do Norte. Aspectos climáticos do Brasil e do Rio Grande do Norte. Principais Biomas do Brasil e do Rio Grande do Norte. Principais bacias hidrográficas do Brasil e do Rio Grande do Norte. Principais aspectos ambientais do Brasil e do Rio Grande do Norte: territórios indígenas e unidades de conservação. Processo de urbanização do Brasil e do Rio Grande do Norte. Municípios do Rio Grande do Norte (território, limites, localização e processo de formação). Aspectos demográficos do Brasil e do Rio Grande do Norte. Principais aspectos da geografia agrária brasileira e do Rio Grande do Norte: estrutura fundiária e principais lavouras. Geografia Política (governadores do Rio Grande do Norte).
 
Noções de direito constitucional – Constituição: Conceito. Princípios fundamentais. Classificação. Aplicabilidade e Interpretação das Normas Constitucionais. Poder Constituinte: Conceito. Finalidade. Titularidade e Espécies. Reforma da Constituição. Cláusulas Pétreas. Direitos e garantias fundamentais: direitos e deveres individuais e coletivos, direitos sociais, nacionalidade, direitos políticos. Da Organização do Estado. Da Administração Pública. Disposições Gerais. Dos Servidores Públicos. Da Organização dos Poderes. Defesa do Estado e das instituições democráticas: segurança pública; organização da segurança pública.
 
Noções de direito penal militar – Aplicação da lei penal militar. Crime. Imputabilidade penal. Concurso de agentes. Penas. Aplicação da pena. Suspensão condicional da pena. Livramento condicional. Penas acessórias. Efeitos da condenação. Medidas de segurança. Ação penal. Extinção da punibilidade. Crimes militares em tempo de paz. Crimes propriamente militares. Crimes impropriamente militares. Estatuto dos Policiais Militares do Estado do Rio Grande do Norte. Código Penal Militar (Arts. 1º ao 9º).
 
Noções de direito penal – Infração penal: elementos, espécies, classificação doutrinária das infrações penais; princípios penais. Sujeito ativo e sujeito passivo da infração penal. Lei penal no tempo. Concurso aparente de normas. Tipicidade, ilicitude, culpabilidade. Consumação e tentativa. Erros essenciais e erros acidentais. Concurso de pessoas. Crimes contra a pessoa. Crimes contra o patrimônio. Crimes contra o respeito aos mortos. Crimes contra o sentimento religioso. Crimes contra a dignidade sexual. Crimes contra a família. Crimes contra a incolumidade pública. Crimes contra a fé pública. Crimes contra a administração pública.
 
Noções de legislação extravagante – Abuso de Autoridade (Lei n° 4.898/65). Dos crimes previstos na Lei Antidrogas (Lei n° 11.343/06). Crimes tipificados no Código de Trânsito Brasileiro (Lei n° 9.503/97). Violência doméstica e familiar contra a mulher (Lei n° 11.340 de 2006). Contravenções penais. Dos crimes tipificados na Lei do Estatuto do idoso (Lei n° 10.741 de 2003). Dos crimes tipificados no Estatuto do Desarmamento (Lei n° 10.826/03). Crimes de Tortura (Lei n° 9.455 de 1997). Dos crimes contra a propriedade Intelectual (Lei n° 9.609 de 1998). Dos crimes tipificados nas Leis de preconceito e aos dos deficientes físicos (Lei n° 7.716 de 1989 e Lei n° 7853 de 1989). Artigo 9° (nono) do Código Penal Militar. Crimes hediondos (Lei n° 8.072 de 1990). Organizações Criminosas (Lei n° 9.034, de 1995). Identificação criminal do civilmente identificado (Lei n° 12.037/09). Crimes contra o meio ambiente (Lei n° 9.605/98). Código Brasileiro de Telecomunicações (Lei nº 4.117/1962). Organização dos serviços de telecomunicações (Lei nº 9472/97). Lei de Organizações Criminosas (Lei n. 12.850). Estatuto do Torcedor. Alterações de todas as normativas supracitadas.
 
Informática – Introdução ao sistema operacional Microsoft Windows. Conceitos básicos e utilização de aplicativos para edição de textos, planilhas eletrônicas e apresentações: pacote Microsoft Office. Principais aplicativos de navegação na Internet (Microsoft Internet Explorer, Mozilla Firefox), ferramentas de pesquisa e compartilhamento de informações. Segurança na Internet.
 
Legislação específica da Polícia Militar – Lei Complementar nº 515/2014 – dispõe sobre o Regime de Promoção dos Praças. Lei nº 4.533/1975 e suas alterações – dispõe sobre o Regime de Promoção dos Oficiais da PM. Lei nº 4.630/1976 – dispõe sobre o Estatuto da PM/RN. Portaria nº 042/2016 – GCG – dispõe sobre a formalização do Processo Administrativo Disciplinar Sumário. Decreto nº 23.045/2012 – regulamenta uniformes da PM. Decreto nº 8.336/1982 – aprova o Regulamento Disciplinar da PM. Lei Complementar nº 090/1991 – dispõe sobre a Organização básica da PM/RN. Lei Complementar nº 463/2012 – dispõe sobre subsídios dos Militares do Estado RN. Lei Complementar nº 514/2014 – dispõe sobre o Reajuste dos subsídios. Legislações disponíveis no site da PM/RN: http://www.pm.rn.gov.br/.

 

• APOSTILAS ONLINE E IMPRESSA PM/RN - SOLDADO

Atualizado: 13/08/2018 - 09:18

Concurso PF: provas foram remarcadas para 16 de setembro

O edital de convocação, contendo os locais e horários das avaliações, será divulgado na data provável de 6 de setembro no site da banca.

Salário até R$ 23,1 mil

Por JCConcursos - Da Redação

A reabertura das inscrições para cotistas ao cargo de perito - o prazo foi encerrado na última segunda (13) - obrigou a Polícia Federal (PF) a remarcar a aplicação das provas objetiva e discursiva para todas as carreiras, que inicialmente estava prevista para 19 de agosto. O exame foi adiado para 16 de setembro. 

O edital de convocação, contendo os locais e horários das avaliações, será divulgado na data provável de 6 de setembro no site da banca. 

A avaliação objetiva será constituída de 120 itens para julgamento, cada um deles sendo certo ou errado. Já a discursiva contará com a elaboração de texto dissertativo, de até 30 linhas, exceto para o cargo de delegado, cuja prova será a elaboração de peça profissional.

O concurso da PF ainda contará com as seguintes etapas sob responsabilidade do Cebraspe: exame de aptidão física para todos os cargos, de caráter eliminatório; prova oral para delegado, eliminatória e classificatória; prova prática de digitação para escrivão, eliminatória; avaliações médica e psicológica para todos os cargos, eliminatória; análise de títulos para delegado e perito, unicamente classificatória. 

O curso de formação profissional, de caráter eliminatório, será de responsabilidade da Academia Nacional de Polícia, a ser realizado no Distrito Federal, podendo ser desenvolvidas atividades, a critério da administração, em qualquer unidade da Federação. A ordem de classificação obtida no curso será rigorosamente obedecida para efeitos de escolha de lotação para todos os candidatos.

A aplicação das provas do concurso da PF costuma ser feita em todas as capitais, exceto o exame oral, que ocorre somente em Brasília/DF.

Ao todo, a seleção disponibiliza 500 vagas, sendo 150 para delegado, 60 para perito criminal, 80 para escrivão, 30 para papiloscopista e 180 para agente.

APOSTILAS CONCURSO PF 2018 - AGENTE / ESCRIVÃO / PAPILOSCOPISTA / PERITO 
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - PERITO
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - ESCRIVÃO
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - AGENTE 
CURSO CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - DELEGADO

Cargos do concurso da PF 2018

Para concorrer aos cargos de agente, papiloscopista e escrivão basta possuir curso de nível superior em qualquer área de formação. Para delegado, a exigência do concurso da PF é de diploma, devidamente registrado, de bacharel em direito e, no mínimo, três anos de atividade jurídica ou policial comprovados na data da posse.Por fim, o posto de perito requer nível superior nas áreas de ciências contábeis, ciências econômicas, engenharia elétrica, engenharia eletrônica, engenharia de telecomunicações, engenharia de redes de comunicação, análise de sistemas, ciências da computação, engenharia da computação, informática, engenharia agronômica, geologia, engenharia química, química industrial, química, engenharia civil, engenharia florestal, medicina ou farmácia.

Para todos os empregos, os aprovados também deverão possuir carteira de habilitação a partir da categoria “B”, quando da posse. 

Para os cargos de agente, papiloscopista e escrivão, a remuneração atual é de R$ 12.441, 26, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458. Além disso, as duas categorias contarão com reajuste em janeiro de 2019, subindo para R$ 12.980,50.

Para perito e delegado, o inicial atualmente é de R$ 23.130,48, mas contará com reajuste em janeiro de 2019, quando passará para R$ 24.150,74.

Para todos os cargos, a jornada de trabalho é de 40 horas semanais.

Normalmente, a lotação do concurso da PF é feita preferencialmente nos postos de fronteira e nos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima, permitindo a remoção de pessoal nestas localidades. Obedecidas estas condições, o preenchimento pode ser feito em todos os estados, de acordo com as necessidades. 

Progressão na PF

Para os agentes, papiloscopistas e escrivães, na segunda classe, as remunerações, com o benefício, são de R$ 12.940,69 em 2018, indo para R$ 13.502,41 em janeiro de 2019. Para a primeira classe, R$ 15.067,83 em 2018, indo para R$ 15.725,27 em 2019. Na classe especial, R$ 18.306,60 em 2018, mudando para R$ 19.109,79 em 2019.

Para perito e delegado, na segunda categoria, R$ 23.710,07 em 2018, indo para R$ 24.756,42 em 2019. Na primeira, R$ 27.105,60 em 2018, indo para  R$ 28.304,74 em 2019. Finalmente, na classe especial, R$ 30.062,70 em 2018, indo para  R$ 31.394,91 em 2019.

APOSTILAS CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2018 - AGENTE

Mudanças na carreira

Além da possibilidade de reestruturação na carreira, já  tramita, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal, a proposta de emenda à constituição 73/2013, que prevê a união das atividades dos cargos de perito, escrivão, papiloscopista e delegado dentro de uma nova carreira, chamada de servidor policial federal. De acordo com a proposta, caso aprovada, os candidatos passarão a prestar concurso público unificado e seriam lotados nas unidades da PF de acordo com suas habilidades e áreas de formação. 

O texto prevê a possibilidade de crescimento dentro da carreira unificada, por meio de promoção e progressão funcional, a serem estabelecidas por lei.

De acordo com o senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP), relator da matéria, a carreira única é a forma em que estão estruturadas as instituições policiais de referência no mundo, como o Federal Bureau of Investigation (FBI) e a própria Polícia Rodoviária Federal (PRF). Caso aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça, a proposta já poderá ser encaminhada para votação em plenário, em dois turnos.

 

Carência de servidores na PF


Mesmo com a perspectiva de novos concursos, a carência de pessoal da PF é considerada muito grande que a perspectiva de vagas. De acordo com dados apontados pelo presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luis Antônio de Araújo Boudens, durante o Fórum Nacional dos Concursos Públicos, realizado em 2017, a corporação conta com uma necessidade de nada menos do que 13.300 servidores. Além disso, segundo ele, caso o concurso para delegados não seja realizado o quanto antes, a carência de pessoal para o cargo pode chegar a 800 servidores nos próximos anos em decorrência de 400 aposentadorias previstas.  

Prepare-se para o concurso da Polícia Federal

O presidente do Fenapref reforça que a maior necessidade na PF é para o cargo de agente que, conta com nada menos do que 6.400 postos em aberto, seguido da área administrativa, com necessidade de 5.300 servidores. Além disso, para escrivães são necessárias 1.200 contratações, além de 400 para papiloscopistas.

De acordo com o sindicalista, o governo cobra a proteção das fronteiras, o que se torna impossível sem que haja um quantitativo de pessoal adequado, bem como investimentos em tecnologia, o que considera impossível com um orçamento decrescente. Além disso, ressalta que o órgão não tem como abrir outras unidades de policiamento pela falta de pessoal para ocupar os respectivos postos. Explica que a PF não abre novas unidades há cinco anos, período no qual apenas foram reformados prédios. “Nenhum gestor tem coragem de abrir novas unidades da Polícia Federal em nenhum local do país, pois não temos efetivos, policiais e servidores administrativos para trabalhar nestas unidades”, diz. "As consequências disso são a não proteção da fronteira e o impedimento do órgão de oferecer um serviço com qualidade".             

Além disso, diz que muitas vezes tem sido divulgado que a Polícia Federal tem feito mais do que fazia antes, o que considera uma mentira. “Nós fazemos menos operações do que fazíamos, mas começamos a chamar de operação aquilo que realmente não é”, diz. “Antes havia um conjunto de ações contra o crime organizado que costumávamos chamar de ações, sempre com uma média de 150 a 200. Hoje qualquer intimação já é chamada de operação. Qualquer ação ordinária é chamada de operação para mascarar a realidade e mostrar que fazemos mais operações do que antes”, diz.

Delegado da Polícia Federal

Boudens aponta que, somente para o cargo de delegado existem, atualmente, 491 vagas em aberto, que a PF tem tentado suprir com a realização do novo concurso. “Isto representa 28% do nosso efetivo, ou seja, um terço do nosso efetivo vago e a consequência é evidente. Como cada delegado poderia fazer umas duas operações por ano, esta realidade representa, no mínimo, 800 operações a menos a cada ano”. Além disso, de acordo com ele, com a reforma da previdência e a possibilidade da extinção do abono de permanência, todo mundo que está com abono de permanência irá se aposentar, bem como aqueles que já possuem condições de pedir aposentadoria. Com isto, de acordo com ele, a perspectiva é de que, em um período de dois ou três anos, mais 400 delegados se aposentem.

A Polícia Federal, de acordo com ele, possui atualmente 180 mil investigações em andamento. “Nem todas as investigações viram ações. Precisamos delimitar as prioridades, mas dentro desta realidade de defasagem de pessoal, nem isto é possível. Por isto, a PF acaba mascarando números e de um total de duas mil por ano, acabamos fazendo aproximadamente 300”.

Dentro de um contexto histórico, diz que em 1978, a PF contava com 500 delegados. Já em 1995, os mesmos 500 delegados. Em 2000, eram 700 delegados no país. “Até então, as principais atividades eram o combate às drogas e garimpo. Mas era uma atividade bastante limitada e uma atuação muito aquém do que poderia ser feito. Em 2001 foi realizado um concurso para 500 delegados, quase dobrando o efetivo. Do concurso até aposse são quase três anos. Isso preocupa, pois como temos quase 400 que podem se aposentar nos próximos anos, se abrir um concurso hoje,ficaríamos com 800 vagas em aberto. Hoje temos 1.717 delegados em atividade. Tivemos concurso em 2001 e 2004 para mais 500 cada, dobrando o efetivo. Mas em 2009, o quadro foi congelado, quando estava com 1.852. Agora estamos em um processo de desmonte”, diz. “Em 2018 devemos voltar ater o efetivo que possuíamos em 2003”, reforça.

Administrativos

Já no quadro administrativo, diz que em 2004 o efetivo foi aumentado. “No FBI, por exemplo, para cada policial existem de seis a sete administrativos. No Brasil é o contrário. Em 2004 o efetivo cresceu, mas depois não foram feitos novos concursos e a PF passou a terceirizar as ações em aeroportos, o que não deu certo. Acabaram as terceirizações,mas não foram repostos os administrativos. Hoje, nosso quadro de administrativos é menor do que o de 2004, ao passo que as atribuições da PF aumentaram”. De acordo com ele, em 2014 aumentou um pouco pela substituição de alguns terceirizados.

Autonomia

O sindicalista ressalta, ainda, que a Polícia Federal conta com decreto de 2014 que permite a realização de concurso sem autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) sempre que a carência de pessoal chegar a 5% do quadro. Porém, diz que, na prática, o decreto não está funcionando, uma vez que para isto é preciso ter orçamento, atestado pelo MPOG. “Não adianta ter autorização para fazer o concurso se não há orçamento para isto”. A solução, segundo ele, seria conquistar a autonomia do órgão. Para isto, já existe, segundo ele, uma campanha neste sentido, desde dezembro de 2015. “Sem a autonomia, não conseguimos avançar. Nós sabemos que, muitas vezes, a Polícia Federal tem por ação investigar atos de desvios praticados por membros do governo. Por isto existe, sim, resistência por parte de grupos no poder, no sentido de controlar as atividades da Polícia Federal e não existe, em nenhum lugar no mundo, uma instituição que tenha por finalidade investigar os atos do governo que não possua autonomia".

Ressalta, ainda, que um avanço foi a lei 13.047, que determina que a direção da Polícia Federal compete aos delegados. “Com isto, conseguimos evitar que alguém de fora da instituição fosse nomeado para a direção geral e das atividades da PF. Até 2014, qualquer pessoa poderia ser nomeada como diretor da corporação. Mas ainda não conseguimos avançar com o fim dos cargos comissionados, que buscamos trocar por funções comissionadas, ou seja,exclusivas para preenchimentos por funcionários concursados de carreira”.

Últimos concursos da Polícia Federal

Com relação aos novos concursos previstos, para agente o último concurso ocorreu em 2014, quando foram registrados 98.101 inscritos para a oferta de 600 vagas. Para escrivão, a última seleção ocorreu em 2012, com 83.619 inscritos para 350 vagas. Para perito e delegado, os últimos certames ocorreram em 2012, com 35.800 inscritos para a oferta de 100 vagas de perito e 46.633 participantes para 150 postos de delegado.Para todos os cargos, a organizadora foi o Cespe/UnB.

 

Para perito, o concurso da Polícia Federal contou com provas objetivas e discursiva, testes de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica e análise de títulos. A parte objetiva teve 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Os aprovados em todas as fases foram submetidos a um curso de formação profissional.
No caso de delegado, o Cespe/UnB formulou provas objetiva e discursiva, exames de aptidão física, exame médico,avaliação psicológica, análise de títulos e prova oral, além do curso deformação. A parte objetiva contou com 120 questões e a discursiva, com três questões dissertativas e elaboração de peça profissional.
Para perito, as opções foram para áreas de ciências contábeis ou econômicas, engenharia em diversas especialidades, ciências da computação, geologia, química, biomedicina, medicina, odontologia e farmácia.  

5 dicas de processo penal para delegado da PF

1. Estude,desde já, para a prova oral. O concurso conta com prova objetiva, prova discursiva e prova oral. É certo que a prova oral é a última delas,porém, para que você esteja bem preparado para uma prova oral, é necessário controle total da matéria. Logo, foque no controle total, lá na prova oral mesmo. Prepare o material, fale sozinho pela casa, ensine tudo sobre tentativa para seu cachorro. Vá por mim: além de estar mirando acima da maçã, você ainda estará fazendo uso de um dos melhores métodos de estudo.    2. A prova da PF provavelmente será feita pelo Cespe, que merece muitos elogios, pois monta as questões com base nas atribuições do cargo a ser provido – quem dera todas as bancas fizessem assim! Considerando que estamos falando de prova para delegado da Polícia Federal, é óbvio que vão despencar questões sobre inquérito policial, visto que a vida do delegado é tocar inquérito para frente. Para você ter uma ideia, no último concurso para delegado da PF, das 26 questões de processo penal, 15 eram sobre inquérito policial. Essas você não pode errar!   3. Ainda com relação às atribuições do cargo, cuidado com o tema “provas”, principalmente a interceptação telefônica, um meio de prova que é recorrente em concursos públicos.    4. A Operação Lava Jato está na mídia há um bom tempo e uma de suas características mais marcantes é a presença de acordos de delação premiada. Estude este tema!   5. Existem duas “polícias” essencialmente judiciárias no Brasil: Polícia Federal e Polícia Civil. Você sabe que as atribuições da Polícia Civil (estadual)são residuais, mas gigantescas, enquanto as atribuições da Polícia Federal são especiais e bem menores. Isto segue o padrão de todos os órgãos que têm paralelos na seara estadual e federal. Tal padrão se reflete no concurso de um modo muito simples: nas provas de órgãos federais, sempre caem questões sobre suas atribuições/competências. No último concurso, foram quatro questões que tangenciaram este tema.   Rodrigo Sengik, professor de processo penal no AlfaCon Concursos Públicos

 


Ads

Polícia Federal - Acreditamos no seu sonho!

Temos as ferramentas para você mudar de vida. O material certo, feito por um time de profissionais especializados.

 

PREPARE-SE PARA O CONCURSO DA POLICIA FEDERAL 2018

Atualizado: 09/08/2018 - 13:19

Prefeitura de Sarandi PR abre concurso com 93 vagas

Com ofertas destinadas a profissionais de todas as escolaridades, seleção apresenta salários de até 11,8 mil. Inscrições começam em 11 de agosto

Três editais

Por JCConcursos - Samuel Peressin

A Prefeitura de Sarandi, no Paraná, abriu concurso destinado a preencher 93 vagas, além de formar cadastro reserva (CR). Distribuídas entre três editais, as carreiras oferecem salários que variam de R$ 989 a R$ 11.876,45. 

 

O cargo de auxiliar de serviços gerais - feminino (7 postos) pode ser disputado por profissionais com nível fundamental incompleto, enquanto candidatos que concluíram esse ciclo escolar têm opções como fiscal (5).   

 

Há ofertas com exigência de ensino médio e, em alguns casos, formação técnica para agente comunitário de saúde (10), agente de autoridade de trânsito - masculino (4), agente de autoridade de trânsito - feminino (1), guarda municipal - masculino (8), guarda municipal - feminino (2), auxiliar administrativo (12), assistente de informática (CR), auxiliar de cuidados dentários (1), auxiliar de farmácia (1), técnico de enfermagem (1), técnico de enfermagem - PSF (3), instrutor de artes (1) e técnico em higiene dental (1).

 

Estão em disputa postos de nível superior para enfermeiro - PSF (3), enfermeiro - CAPS (1), enfermeiro padrão (1), farmacêutico (1), médico ginecologista (1), médico pediatra (1), médico PSF (3), médico plantonista clínico geral (1), médico psiquiatra (1), médico do trabalho (1), odontólogo (1), psicólogo CAPS (1), psicólogo (3), terapeuta ocupacional (1), educador físico (1), assistente social (2), contador (1), educador infantil (11) e engenheiro civil (1).

 

 

Inscrição e etapas

 

 

Com taxas entre R$ 30 e R$ 120, as inscrições abrem às 8h de 11 de agosto e terminam às 23h59 de 9 de setembro, devendo ser efetuadas pelo endereço www.fundacaofafipa.org.br.

 

O processo seletivo envolverá prova objetiva (todos os cargos), em 30 de setembro, análise de títulos (funções de nível superior) e avaliações psicológica e física (agente de autoridade de trânsito e guarda municipal), em datas a serem definidas. 

 

A seleção terá validade de dois anos, com possibilidade de prorrogação por mais dois, a critério da Prefeitura de Sarandi, conforme estabelecem os editais.

Atualizado: 08/08/2018 - 09:09

Concurso PM MG: prova para soldado ocorre dia 2/9

Carreira é destinada a profissionais com curso superior em qualquer área e apresenta remuneração inicial de R$ 3,2 mil. Edital tem chances na capital e interior

1.560 vagas

Por JCConcursos - Samuel Peressin

O concurso da Polícia Militar de Minas Gerais (PM MG) destinado a preencher 1.560 vagas de soldado em todo o Estado tem a prova da primeira fase prevista para 2 de setembro. 

 

No total, o edital disponibiliza 1.404 postos para homens e 156 para mulheres. Os candidatos devem possuir curso superior em qualquer área, idade entre 18 e 30 anos e altura mínima de 1,60m. A remuneração inicial é de R$ 3.278,74. 

 

As inscrições foram recebidas até 30 de julho pelo endereço eletrônico www.policiamilitar.mg.gov.br/crs. O valor da taxa foi de R$ 122,95. 

 

Os aprovados realizarão curso de formação de soldados com duração de sete meses. O treinamento será ministrado na capital e no interior, a partir de fevereiro e maio, respectivamente.

• APOSTILA CONCURSO PM/MG 2018 - SOLDADO

• CURSO PARA O CONCURSO POLÍCIA MILITAR/MG 2018 - SOLDADO

No período de estudos, os recrutas da PM MG receberão abono fardamento e assistências médico-hospitalar, psicológica e odontológica. 

 

 

Etapas do concurso da PM MG para soldado

 

 

Marcada para 2 de setembro, a prova objetiva cobrará a resolução de 40 questões sobre língua portuguesa, estatística, legislação extravagante, direitos humanos, direito penal, direito constitucional e direito penal militar.

 

Haverá aplicação em Belo Horizonte, Juiz de Fora, Uberaba, Lavras, Divinópolis, Governador Valadares, Uberlândia, Patos de Minas, Montes Claros, Ipatinga, Barbacena, Curvelo, Teófilo Otoni, Unaí, Pouso Alegre, Poços de Caldas e Sete Lagoas. 

 

As outras etapas do processo seletivo envolvem: avaliações psicológica e física e exames de saúde e toxicológico, em datas a serem definidas.

 

De acordo com o edital, o concurso da PM MG terá validade de 30 dias, contados a partir da homologação do resultado final. O prazo poderá ser prorrogado uma vez, por igual período, a critério da corporação. 

 

 

Concurso PM MG 2018: atribuições do soldado

 

 

Promover a segurança pública, através de atividades preventivas e repressivas nos diversos tipos de policiamento (geral, trânsito urbano e rodoviário, meio ambiente, guardas e outros). Para tanto, a atuação do Soldado compreende as seguintes atribuições específicas, dentre outras: a) realizar policiamento ostensivo fardado; b) executar atividades operacionais diversas; c) atender e solucionar ocorrências policiais de modo a manter ou restabelecer a ordem pública; d) redigir boletins de ocorrência, relatórios e outros documentos administrativos; e) estabelecer contatos com a comunidade, envolvendo-a na promoção da segurança pública; f) formular diagnóstico de segurança pública de seu subsetor de responsabilidade; g) pautar suas ações em preceitos éticos, técnicos e legais; h) conduzir viaturas da PMMG, em qualquer categoria de CNH, se habilitado e credenciado.

 

 

O que vai cair na prova de soldado do concurso da PM MG

 

 

Língua portuguesa - 1. Adequação conceitual. 2. Pertinência, relevância e articulação dos argumentos. 3. Seleção vocabular. 4. Estudo e interpretação de textos de conteúdo literário ou informativo. 5. Linguagem: como instrumento de ação e interação presente em todas as atividades humanas, considerações acerca do léxico em uso, com observância aos critérios de emprego das variedades de língua padrão e não padrão. 6. Funções da linguagem na comunicação. 7. Ortografia e acentuação gráfica, conforme o novo acordo ortográfico. 8. Notações léxicas: divisão silábica, emprego do til e do hífen. 9. Pontuação. 10. Concordância verbal e nominal. 11. Emprego dos pronomes. 12. Uso das locuções prepositivas. 13. Crase. 14. Uso das conjunções. 15. Emprego dos advérbios. 16. Figuras de linguagem. Referência Bibliográfica: CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo: IBEP – Nacional, 2009.

 

Direito penal -  1. Princípios Constitucionais do Direito Penal. 2. Da aplicação da lei penal. 3. Do crime. 3.1 Tentativa e consumação. 3.2 Dolo e culpa. 3.3 Excludentes de ilicitude e culpabilidade. 4. Da imputabilidade penal. 5. Das espécies de pena. 6. Infração penal: espécies. 7. Sujeito ativo e sujeito passivo da infração penal. 8. Tipicidade, ilicitude, culpabilidade, punibilidade. 9. Imputabilidade penal. 10. Concurso de pessoas. 11. Das Penas. 12. Crimes contra a pessoa. 13. Crimes contra o patrimônio. 14. Crimes contra a administração pública.

 

Direito constitucional - 1. Dos princípios fundamentais. 2. Dos direitos e garantias fundamentais (direitos e deveres individuais e coletivos).3. Da organização do Estado (organização político-administrativa, União, Estados Federados, Municípios, Distrito Federal e Territórios, militares dos Estados, Distrito Federal e Territórios). 4. Da organização dos poderes (poder legislativo, poder executivo, poder judiciário). 5. Da defesa do Estado e das Instituições Democráticas (estado de defesa e estado de sítio, Forças Armadas, segurança pública). 6. Da administração pública.

 

Direito penal militar - 1. Aplicação da lei penal militar. 2. Do Crime. 3. Concurso de agentes. 4. Das penas principais. 5. Das Penas acessórias. 6. Ação penal. 7. Extinção da punibilidade. 8. Dos crimes militares em tempo de paz. 9. Dos crimes contra a autoridade ou disciplina militar. 10. Dos crimes contra o serviço e o dever militar. 11. Dos crimes contra a Administração Militar.

 

Direitos humanos - 1. Declaração Universal dos Direitos Humanos, aprovada pela ONU, em 10 de dezembro de 1948. 2. Convenção Americana Sobre Direitos Humanos. (Assinada na Conferência Especializada Interamericana sobre Direitos Humanos, San José, Costa Rica, em 22 de novembro de 1969) 3. Constituição da República Federativa do Brasil: Art. 1º, 3º ao 17, 197 ao 232. 4. Lei nº 9.459, de 10 de março de 1997, define os crimes de preconceito de raça e de cor. 5. Lei nº 9.455, de 07 de abril de 1997, define os crimes de tortura e dá outras providências. 6. Lei nº 9.807, de 13 de julho de 1999, estabelece normas para a organização e a manutenção de programas especiais de proteção a vítimas e a testemunhas ameaçadas: Art. 1º ao 15. 7. Lei nº 10.741, de 01 de outubro de 2003, Estatuto do Idoso, Art. 1º ao 10, 15 ao 25, 33 ao 42 e 95 ao 118. 8. Lei Estadual nº 14.170, de 15 de janeiro de 2002, determina a imposição de sanções a pessoa jurídica 49 por ato discriminatório praticado contra pessoa em virtude de sua orientação sexual. 9. Decreto nº 43.683, de 10 de dezembro de 2003, regulamenta a Lei Estadual nº 14.170 de 15/01/2002. 10. Lei nº 13.104, de 09 de março de 2015, altera o art. 121 do Decreto-Lei no 2.848, de 07 de dezembro de 1940 - Código Penal, para prever o feminicídio como circunstância qualificadora do crime de homicídio, e o art. 1º da Lei no 8.072, de 25 de julho de 1990, para incluir o feminicídio no rol dos crimes hediondos. 11. Lei nº 12.288, de 20 de julho de 2010, que institui o Estatuto da Igualdade Racial, Art. 1º ao 26.

 

Legislação extravagante - 1. Estatuto do Desarmamento (Lei nº 10.826/03). 2. Crimes resultantes de preconceitos de raça ou de cor (Lei nº 7.716/89). 3. Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90). 4. Juizados Especiais Criminais (Lei nº 9.099/95 e 10.259/2001). 5. Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas (Lei nº 11.343/06). 6. Código de Ética e Disciplina dos Militares do Estado de Minas Gerais – Lei Estadual 14.310/2002. 7. Lei nº 4.898, de 09 de dezembro de 1965, Regula o Direito de Representação e o processo de Responsabilidade Administrativa Civil e Penal, nos casos de abuso de autoridade. 8. Lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990, dispõe sobre os crimes hediondos. 9. Lei nº 11.340, de 07 de agosto de 2006, cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher: Art. 1º ao 7º, 10 ao 12, 22 ao 24 e 34 ao 45.

 

Estatística - 1. Visão Conceitual Básica (1.01. População ou Universo; 1.02. Amostragem x Amostra; 1.03. Experimento Aleatório; 1.04. Amostragem Aleatória; 1.05. Método Estatístico). 2. Variáveis Aleatórias (2.01. A Variável Aleatória Discreta, 2.02. A Variável Aleatória Contínua, 2.03. A Variável Qualitativa). 3. Normas de Apresentação Tabular (3.01. Modelo de uma Tabela; 3.02. Séries/Tabelas Estatísticas; 3.03. Tipos de Séries Estatísticas; 3.04. Estudo elementar de uma série temporal; 3.05. As variações percentuais). 4. Medidas de Tendência Central (4.01. Média Aritmética, simples e ponderada; 4.02. Propriedades da Média Aritmética; 4.03. Vantagens da Média Aritmética; 4.04. Desvantagens da Média Aritmética; 4.05. Média Típica; 4.06. Média Atípica; 4.07. Mediana; 4.08. Moda). 5. Análise e Interpretação Matemática de Gráficos Estatísticos (5.01. Gráfico de Colunas; 5.02. Gráfico Pictórico; 5.03. Gráfico de Setores; 5.04. Gráfico de Linhas).
 

Atualizado: 07/08/2018 - 13:27

PC SE prorroga inscrições de concurso para delegado

O edital conta com dez oportunidades, destinadas a candidatos que possuem o nível superior em direito

Salário de R$ 11 mil

Por JCConcursos - Patricia Lavezzo

A Polícia Civil do Estado de Sergipe (PC/SE) prorrogou até as 18h do dia 20 de agosto as inscrições do concurso público para delegado de polícia substituto. Oportunidade é de dez vagas, sendo duas reservadas a pessoas com deficiência e uma para os afrodescendentes. 

De acordo com o edital, a lotação dos participantes será nas unidades do órgão sediadas no interior do Estado, respeitando-se a ordem de classificação dos candidatos aprovados nomeados e conforme a necessidade do órgão.

O cargo exige diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior de bacharelado em direito, fornecido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). A remuneração inicial é de R$ 11.000 para jornada de trabalho de 36 horas semanais. 

Entre as atribuições do delegado de polícia substituto, estão: supervisionar as atividades específicas da administração policial, coordenando e controlando essas atividades, promovendo investigações, abertura de inquéritos e adotando outras providências, para determinar medidas legais e outras soluções de interesse da segurança pública; exercer atividades de direção, coordenação e fiscalização pertinentes à Polícia Civil, distrital, regional e especializada.

 

Como participar do concurso da PC SE

 

O Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) é o responsável pela organização e execução do processo de seleção. As inscrições devem ser realizadas no endereço eletrônico www.cespe.unb.br/concursos/pc_se_18_delegado

Será cobrada uma taxa de participação, no valor de R$ 249, e o seu pagamento deverá ser efetuado até o dia 11 de setembro, observado o horário de funcionamento da rede bancária. 

 

Provas do concurso da PC SE 2018

 

A primeira etapa a ser disputada pelos candidatos será a prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório. Ela contará com 150 itens, sendo 30 de conhecimentos gerais e 120 de conhecimentos específicos. As avaliações valerão 150 pontos e o julgamento de cada item será certo ou errado.

Com cinco horas de duração, a prova será aplicada na cidade de Aracaju/SE no dia 21 de outubro, no período da tarde. O edital de convocação, contendo os locais e horários do exame, será publicado no site do Cebraspe a partir do dia 11 desse mesmo mês. 

Serão convocados para a prova discursiva os candidatos aprovados na objetiva, até o limite de 350 classificados. Ela será constituída de uma questão, a ser respondida em até 20 linhas, acerca do Estado de Sergipe; e duas questões, a serem respondidos em até 30 linhas cada, acerca dos conhecimentos específicos para o cargo.

O certame ainda será composto das seguintes etapas: prova de capacidade física; exame psicológico; exame toxicológico; sindicância de vida pregressa; prova oral; avaliação de títulos; e curso de instrução e preparação técnico-profissional.

Atualizado: 07/08/2018 - 11:03

Bombeiros AM: novo concurso deve ficar para 2019

Seleção foi anunciada em março de 2017, durante evento para posse do novo comandante da corporação, coronel Fernando Paiva Pires Júnior

Comissão já está formada

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A realização do aguardado novo concurso público do Corpo de Bombeiros do Amazonas (CBMAM) deve ficar para o próximo ano. A informação foi divulgada recentemente pelo líder do governo na Assembleia Legislataiva do Amazonas (Aleam), deputado Dermilson Chagas. De acordo com ele, o motivo diz respeito ao período eleitoral. Com isto, de acordo com o parlamentar, o certame já deve ser considerado no orçamento estadual do próximo ano. Ao todo, a seleção deve contar com 228 vagas, sendo 198 para aluno soldado e 30 para aluno oficial bombeiro.

 

A comissão do certame já está constituída desde 27 de abril. A seleção é aguardada desde 13 de março de 2017, quando anunciada pelo governador José Melo, durante evento de posse do novo comandante do CBMAM, coronel Fernando Paiva Pires Júnior, que assumiu o cargo no lugar do coronel Fernando Sérgio Austregésilo Luz. Na ocasião, o governador também confirmou as promoções para oficiais e praças da corporação

Com relação ao certame, o governador declarou, na ocasião,. que “a corporação está muito reduzida e, portanto, devemos lançar um novo edital para o novo concurso que será realizado para recompor aqueles que foram para a reserva remunerada”. O governador também prometeu a aquisição de novos equipamentos para o Corpo de Bombeiros para impulsionar os serviços de emergência, proporcionando um melhor atendimento à população.

A comissão é presidida pelo tenente coronel Alexandre Gama de Freitas, tendo como vice-presidente o tenente coronel Alecsandro Leal da Silva. Também fazem parte da comissão o major Jean Crisley Feitosa e Silva e os coronéis Ênio de Oliveira Malveira e Elenildo Rodrigues Faria.
 

Seleção Anterior

A última grande seleção do CBMAM ocorreu em 2009, quando foram oferecidas 1.239 vagas, para diversos postos de níveis médio e superior. Na ocasião, para nível médio foram oferecidas oportunidades para os cargos de solado (443, sendo 400 para homens e 43 para mulheres), 3º sargento auxiliar de saúde – técnico de enfermagem (293 vagas), cabo auxiliar de saúde- auxiliar de consultório dentário (28), cabo auxiliar de saúde – técnico em raio X (28) e  cabo auxiliar de saúde – técnico em gesso (12). Para nível superior, os postos foram para 2º tenente nas áreas de médico ortopedista (18), médico clínico (17), médico pediatra (67), dentista (42), farmacêutico (42), enfermeiro (107) e assistente social (42).

A banca, na ocasião, foi a Copec      

  

Atualizado: 07/08/2018 - 09:26

Concurso São Bernardo SP: PROVA está prevista para 26/8

Concurso da Prefeitura de São Bernardo do Campo preencherá postos em 37 cargos, com destaque para oficial administrativo, que reúne 100 chances, cobra ensino médio e paga R$ 1,7 mil

752 vagas

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Destinado a preencher 752 vagas, o novo concurso da Prefeitura de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, tem a prova da primeira fase prevista para 26 de agosto.    

 

Profissionais com ensino médio têm opções como analista de transportes (3 - R$ 3.945,81), auxiliar de serviços de agrimensura (1 - R$ 2.809,62), oficial administrativo (100 - R$ 1.722,95), guarda civil municipal - homem (70 - R$ 2.239,83), guarda civil municipal - mulher (30 - R$ 2.239,83) e professor de educação básica I (300 - até R$ 3.715,41).

 

As ofertas de nível superior no concurso da Prefeitura de São Bernardo são para procurador (9 - R$ 9.611,41), agente contábil (5 - R$ 4.715,83), agente de controladoria (2 - R$ 4.715,83), agente de tesouraria (3 - R$ 4.715,83), analista tributário financeiro (1 - R$ 7.903,21), arquiteto (10 - R$ 7.903,21), assistente jurídico (1 - R$ 5.586,87), assistente social (1 - R$ 5.187,41), contador (3 - R$ 7.903,21), desenhista (1 - R$ 5.107,20), engenheiro civil (9 - R$ 7.903,21), engenheiro eletricista (2 - R$ 7.903,21), fiscal de cadastro tributário (5 - R$ 4.715,83), fiscal I (32 - R$ 4.715,83), fisioterapeuta (1 - R$ 3.890,62), fonoaudiólogo (1 - R$ 5.187,41), geólogo (1 - R$ 5.946,50), psicólogo (9 - R$ 5.946,50), psicólogo - Secretaria de Educação (1 - R$ 5.187,41), técnico em agrimensura (9 - R$ 6.533,60), técnico em licitações (13 - R$ 4.324,61), técnico em meio ambiente (3 - R$ 4.715,83), terapeuta ocupacional (1 - R$ 3.890,62), coordenador pedagógico (35 - R$ 5.402,51), diretor escolar (50 - R$ 5.617,91), orientador pedagógico (5 - R$ 5.617,91) e professor nas áreas arte (10 - até R$ 3.938,33), educação física (15 - até R$ 3.938,33), educação especial - audiocomunicação (1 - até R$ 4.132,14), educação especial - deficiência intelectual/mental (8 - até R$ 4.132,14) e educação especial - deficiência visual (1 - até R$ 4.132,14). 

 

Inscrições e etapas do concurso da Prefeitura de São Bernardo do Campo 2018

 

As inscrições foram recebidas até 26 de junho, por meio do site da Fundação Vunesp (www.vunesp.com.br). As taxas custaram R$ 56,50 (nível médio) e R$ 82,20 (superior).

APOSTILAS CONCURSO PREFEITURA DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SP 2018 - CARGOS DE NÍVEIS MÉDIO E SUPERIOR

Em 26 de agosto, a banca aplicará prova objetiva para todos os candidatos, além de exame prático-profissional apenas para os concorrentes a procurador.

 

As outras etapas do processo seletivo envolvem: análise de títulos (procurador, professor, coordenador pedagógico, diretor escolar e orientador pedagógico) e teste físico, avaliação psicológica e curso de formação (guarda civil municipal), em datas a serem definidas.

 

De acordo com os editais, o concurso da Prefeitura de São Bernardo do Campo terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do governo municipal.

 

Atribuições do oficial administrativo no concurso da Prefeitura de São Bernardo 2018

 

Datilografar serviços rotineiros, utilizando impressos padronizados relativamente simples e/ou correspondência interna e externa, relatórios, memorandos, etc., com base em minutas. Atender o expediente normal da unidade, efetuando abertura, recebimento, registro, distribuição, apensamento, desapensamento de processos, correspondência interna e externa e respectivos protocolos. Efetuar controles simples de arquivo, arquivamento em kardex, elaborar índices simples e remissivos. Redigir relatórios, minutas de ofícios, memorandos, declarações, circulares, ordens de serviço e similares, que envolvam interpretações de elementos analíticos complexos. Efetuar controles relativamente complexos envolvendo interpretação e comparação de dois ou mais tipos de informações: conferências de cálculos de licitações, apreciação em processos de compra, previsão orçamentária, controle contábil, controle de subvenções, controle de fundos, controle de férias, seguros e empréstimos e/ou outros tipos similares de controle. Efetuar cálculos simples, utilizando somente as quatro operações: cálculos de taxas de expediente, soma de avisos de crédito, cálculo de quilometragem e outros similares. Efetuar controles simples, que não envolvam interpretação e comparação de informações: controle de materiais, de quilometragem, de horas trabalhadas, cartões de ponto e/ou controles similares; Dar atendimento ao público, fornecendo informações relativamente complexas: informações sobre concorrências, editais, processos, leis, decretos, e/ou similares. Efetuar cálculos relativamente complexos, utilizando-se de fórmulas e envolvendo dados comparativos, cálculos de áreas, metragens de muros e passeios, cálculos de licença-prêmio, cálculos de juros de mora, correção monetária e/ou semelhantes. Dar atendimento de balcão, fornecendo informações gerais simples, atinentes ao serviço da Unidade. Redigir memorandos, cartas, relatórios e/ou mensagens simples, ofícios, cotas em processos, termos de juntada e retirada de documentos em expedientes, etc. Executar outras atividades correlatas ao cargo.

 

Concurso Prefeitura São Bernardo: o que vai cair na prova para oficial administrativo

 

Língua portuguesa – Leitura e interpretação de diversos tipos de textos (literários e não literários). Sinônimos e antônimos. Sentido próprio e figurado das palavras. Pontuação. Classes de palavras: substantivo, adjetivo, numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição e conjunção: emprego e sentido que imprimem às relações que estabelecem. Concordância verbal e nominal. Regência verbal e nominal. Colocação pronominal. Crase.

 

Matemática – Resolução de situações-problema, envolvendo: adição, subtração, multiplicação, divisão, potenciação ou radiciação com números racionais, nas suas representações fracionária ou decimal; Mínimo múltiplo comum; Máximo divisor comum; Porcentagem; Razão e proporção; Regra de três simples ou composta; Equações do 1.º ou do 2.º graus; Sistema de equações do 1.º grau; Grandezas e medidas – quantidade, tempo, comprimento, superfície, capacidade e massa; Relação entre grandezas – tabela ou gráfico; Tratamento da informação – média aritmética simples; Noções de Geometria – forma, ângulos, área, perímetro, volume, Teoremas de Pitágoras ou de Tales.

 

Atualidades – Questões relacionadas a fatos políticos, econômicos, sociais e culturais, nacionais e internacionais, ocorridos a partir de 1º de janeiro de 2018, divulgados na mídia local e/ou nacional.

 

Informática – MS-Windows 7: conceito de pastas, diretórios, arquivos e atalhos, área de trabalho, área de transferência, manipulação de arquivos e pastas, uso dos menus, programas e aplicativos, interação com o conjunto de aplicativos MS-Office 2010. MS-Word 2010: estrutura básica dos documentos, edição e formatação de textos, cabeçalhos, parágrafos, fontes, colunas, marcadores simbólicos e numéricos, tabelas, impressão, controle de quebras e numeração de páginas, legendas, índices, inserção de objetos, campos predefinidos, caixas de texto. MS-Excel 2010: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas e gráficos, elaboração de tabelas e gráficos, uso de fórmulas, funções e macros, impressão, inserção de objetos, campos predefinidos, controle de quebras e numeração de páginas, obtenção de dados externos, classificação de dados. MS-PowerPoint 2010: estrutura básica das apresentações, conceitos de slides, anotações, régua, guias, cabeçalhos e rodapés, noções de edição e formatação de apresentações, inserção de objetos, numeração de páginas, botões de ação, animação e transição entre slides. Correio Eletrônico: uso de correio eletrônico, preparo e envio de mensagens, anexação de arquivos. Internet: navegação na Internet, conceitos de URL, links, sites, busca e impressão de páginas.

APOSTILAS CONCURSO PREFEITURA DE SÃO BERNARDO DO CAMPO 2018 - OFICIAL ADMINISTRATIVO E CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

Atualizado: 06/08/2018 - 12:27

PM GO: edital para 2 mil vagas em ajustes finais

Para concorrer ao cargo de soldado da PM de Goiás 2018 é necessário possuir formação superior em qualquer área de formação, com inicial de R$ 1,5 mil

Soldados e cadetes

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Polícia Militar do Estado de Goiás (PM/GO) 2018 está está em fase de ajustes finais no edital do seu novo concurso público.A liberação do documento depende apenas de alguns acertos que estão sendo feitos em conjunto com a  banca organizadora, que será a Assessoria de Organização em Concursos Públicos (AOCP),  confirmada por meio da programação de desembolso financeiro, desde 2017.  Ao todo serão oferecidas 2 mil vagas, sendo 1.920 para  soldados  e 80 para a carreira de cadete PM. 

A seleção vem sendo aguardada desde 10 de maio de 2017, quando anunciada pelo governador Marconi Perillo, após uma reunião com os secretários da Fazenda, Fernando Navarett, Planejamento, Joaquim Mesquita; Segurança Pública e Administração Penitenciária, Ricardo Balestreri; e da Casa Civil, João Furtado. 

A comissão do certame, constituída em 4 de julho, é formada pelo coronel Silvio Vasconcelos Nunes e tenentes coronéis Walter Caetano Pereira e  Clives Pereira Sanches.

Para concorrer ao cargo de soldado é necessário possuir curso de nível superior em qualquer área de formação, com remuneração inicial de R$ 1.500.

O objetivo do governo é reforçar o quadro de segurança, uma vez que, somados com mais 2.500 soldados de outro concurso em andamento, o quadro contará com um reforço de 4.500 policiais. “Isso vai ser muito importante para garantir segurança pública na capital e em todas as cidades do interior”, disse o governador.


De acordo com o comandante da PM/GO, coronel Divino Alves, a decisão de realizar mais um concurso público “significa que o governo está com a atenção voltada para a Segurança Pública”. Segundo ele “o aporte de 4.500 novos homens na Polícia Militar vai permitir prestar um melhor serviço à população”. Na ocasião, ressaltou que “cuidaremos para que a formação desses novos policiais seja feita de forma descentralizada, nas cidades menores, onde a população anseia pela presença dos policiais”.

Seleção

Quem pretende participar do concurso já pode dar início aos estudos, tendo como base o conteúdo programático da última seleção, iniciada no final de 2016.

O concurso de soldado é composto de provas objetivas e discursivas, testes de aptidão física, avaliações médica e psicológica, análise de vida pregressa e investigação social.
No concurso anterior, a prova objetiva contou com 50 questões, sendo 15 de conhecimentos gerais, com peso um, e 35 de conhecimentos específicos, com peso dois. Em conhecimentos gerais foram abordados temas sobre língua portuguesa e realidade étnica, social, histórica, geográfica, cultural, política e econômica do estado de Goiás.
Já em conhecimentos específicos, sobre noções de direito penal, constitucional, processual penal, administrativo, direito penal militar e legislação extravagante. 

Atualizado: 06/08/2018 - 11:02

Concurso PC PR: edital deve ser publicado ainda este ano

Seleção deverá contar com 100 vagas imediatas, além de servir para formar cadastro reserva de pessoal. Nível superior e inicial de R$ 5,1 mil

Escrivão

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A publicação do edital do novo concurso público da Polícia Civil do Estado do Paraná (PC/PR)  para a carreira de escrivão de polícia deve ocorrer ainda este ano. Para isto, a corporação precisa apenas definir o nome da banca organizadora, que deve ser anunciada em breve. A seleção é aguardada desde 1º de fevereiro, quando foi divulgado um comunicado, por parte do Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná (Sinclapol), que o governador Beto Richa havia autorizado o novo concurso público 2018 para a carreira, com uma oferta inicial de 100 vagas, além de formar cadastro reserva de pessoal.   A comissão, já formada, desde 27 de março, trabalha na elaboração do edital. Somente então poderá ser anunciada a data de publicação do edital de abertura de inscirções.

Para concorrer ao cargo é necessário possuir formação de nível superior, idade mínima de 21 anos e carteira de habilitação a partir da categoria “B”, com remuneração inicial de R$ 5.197.  

De acordo com nota do sindicato, a falta de escrivães é uma das situações mais graves registradas pela corporação. As últimas nomeações para o cargo, segundo ele, foram realizadas em 2014 e, desde então, um novo certame vem sendo cobrado.

CURSO PARA CONCURSO PC PR 2018 - ESCRIVÃO

A comissão é presidida pela dra Luciana de Novaes, tendo como suplente a dra. Daniele de Oliveira Serighelle. Conta, ainda, com os seguintes membros: dr. Sebastião Ramos dos Santos Neto e dr. Jairo Amódio Estorílio, tendo como suplentes dr Eduardo Marcelo Castella e dr. Alexandre Rorato Maciel. Também foram indicados os seguintes servidores, responsáveis por secretariar os trabalhos: Silvio Romero Rodrigues Carvalho, Ivone Cândida  Oliveira Laurentino, Raquel Silva de Andrade e Luis Gustavo Oribka. 
 

Último Concurso

No último concurso para o cargo, realizado em 2009, foram oferecidas 90 vagas. A banca foi a Coordenadoria de Processos Seletivos da Universidade Estadual de Londrina e a seleção foi composta de cinco fases, contando com provas objetivas de conhecimentos gerais  na primeira, prova de conhecimentos específicos na segunda, prova de higidez física na terceira, testes de aptidão física na quarta e, finalmente, investigação de conduta na última.   A parte de conhecimentos gerais teve 25 questões, sendo dez de língua portuguesa, sete de economia e demografia paranaense, quatro de noções de informática e quatro de raciocínio lógicos.   Em conhecimentos específicos foram mais 25, sendo cinco de noções do estatuto da Polícia Civil, quatro de noções de direito penal, quatro de noções de direito constitucional, quatro de direito administrativo, quatro de direito processual penal e quatro de noções de legislação específica.     

Atualizado: 02/08/2018 - 11:51

Prefeitura de Sítio Novo RN oferece 55 vagas em concurso

Concurso da Prefeitura de Sítio Novo, no interior potiguar, oferece salários que chegam a R$ 12 mil. Inscrições começam em 10 de agosto

Todos os níveis

Por JCConcursos - Samuel Peressin

A Prefeitura de Sítio Novo, no Rio Grande do Norte, divulgou edital de concurso público destinado a preencher 55 vagas, além de formar cadastro reserva. Os salários variam de R$ 954 a R$ 12.001,50.

 

O processo seletivo tem chances de nível fundamental para auxiliar de serviços gerais (6 postos), eletricista (1), merendeiro (2), operador de motoniveladora (1) e operador de retroescavadeira (1).

 

Há ofertas com exigência de ensino médio e, em alguns casos, formação técnica para agente comunitário de saúde (2), auxiliar de farmácia (1), motorista CNH "D" (2), guarda municipal (2), recepcionista (1), técnico em enfermagem (3) e auxiliar de consultório dentário (2).

 

O edital disponibiliza vagas de nível superior para assistente social (1), enfermeiro (1), enfermeiro ESF (3), farmacêutico bioquímico (1), fisioterapeuta (1), fonoaudiólogo (1), médico clínico geral plantonista (7), médico ESF (3), nutricionista (1), odontólogo (3), veterinário (1) e professor nas áreas de ciências (1), educação física (1), educação infantil (2), ensino fundamental (2), ensino religioso (1) e inglês (1). 

 

 

Inscrições e etapas do concurso da Prefeitura de Sítio Novo

 

 

As inscrições abrem em 10 de agosto e terminam em 9 de setembro, devendo ser efetuadas pelo endereço: www.funcern.br. As taxas custam R$ 80 (ensinos fundamental e médio) e R$ 100 (superior).  

 

Os candidatos serão avaliados em etapa única, por meio de prova objetiva com 30 questões de múltipla escolha e duração de três horas. A aplicação está prevista para 30 de setembro.

 

De acordo com o edital, o concurso da Prefeitura de Sítio Novo terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do governo municipal.

 

 

Concurso Prefeitura Sítio Novo: atribuições do auxiliar de serviços gerais

 

 

Zelar pela guarda do patrimônio; controlar fluxo de pessoas, identificando, orientando e encaminhando-as para os lugares desejados; exerce outros serviços gerais (troca de chuveiros, conserto de portas e janelas entre outros); trabalhar seguindo normas de segurança, higiene, qualidade e proteção ao meio ambiente; transportar correspondências, documentos, objetos e valores, dentro e fora das Instituições e efetuar serviços bancários e de correios, depositando ou apanhando o material e entregando-o aos destinatários; auxiliar na secretaria e nos serviços de copa; operar equipamentos de escritório; transmitir mensagens orais e escritas, limpar as dependências do ambiente de trabalho, lavando, varrendo, removendo lixos e detritos, utilizando-se de baldes, vassouras, escovas, detergente e outros produtos de limpeza; verificar necessidades de reparos no local de trabalho, comunicando à chefia para comunicar o conserto e/ ou manutenção; realizar a abertura de picadas através de desmatamento; transportar equipamentos; efetuar a limpeza de equipamentos, executar outras tarefas correlatas ao cargo.
 

Atualizado: 31/07/2018 - 11:47

PM RJ : autorizado novo concurso para oficiais

Seleção deverá contar com uma oferta de 37 vagas, destinadas para quem possui formação de nível superior em direito, com remuneração de R$ 7,6 mil

 Edital em setembro

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Polícia Militar do Rio de Janeiro (PM/RJ) realizará novo concurso público para oficiais. A seleção foi autorizada no último dia 27, pelo governador Luiz Fernando Pezão, por meio de publicação em diário oficial. A oferta será de 37 vagas e a publicação do edital de abertura de inscrições está prevista para ocorrer até o final de setembro. Para isto, o próximo passo é a definição da banca organizadora, que deve ser confirmada no decorrer das próximas semanas.


Para concorrer será necessário possuir formação de nível superior em direito, com idade de até 30 anos. Após o curo de formação de oficiais, os aprovados no concurso ingressam como segundos-tenentes, com remuneração de R$ 7.605,10.

 


Seleção Anterior
O último concurso para oficiais ocorreu em 2017 e foi organizado pelo Ibade.

A seleção contou com provas objetivas e redação. A parte objetiva contou com 60 questões, sendo 15 de direito administrativo, 15 de direito constitucional, 15 de direito penal, dez de direito processual penal e cinco de direito penal militar.


Além disso, os aprovados foram submetidos a exames antropométricos, testes de aptidão física, avaliação psicológica, exames de saúde e avaliação social e documental.

 

Atualizado: 31/07/2018 - 10:45

Concurso PC SP: SAIU gabarito da prova para delegado

Avaliação preambular foi aplicada para mais de 23 mil candidatos em 29 de julho. Concurso da Polícia Civil SP preencherá 250 vagas

 Salário de R$ 10,5 mil

Por JCConcursos - Da Redação

Os participantes do concurso da Polícia Civil de São Paulo (PC SP) para 250 vagas de delegado já podem consultar aqui o gabarito da prova preambular, aplicada no último domingo (29).  

 

Leia também: Polícia Civil/SP: saiu edital com 1.400 vagas para escrivão e investigador

 

A carreira exige diploma de curso superior em direito, além de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) categoria "B" ou superior e comprovação de, no mínimo, dois anos de atividade jurídica ou de efetivo exercício em cargo de natureza policial civil.

 

O salário inicial é de R$ 10.579,71 (já considerando o adicional de insalubridade de R$ 691,64), conforme correção do valor oficializada por meio de retificação. Antes da atualização, os vencimentos correspondiam a R$ 10.199,41.

APOSTILA CONCURSO PC/SP 2018 - DELEGADO
APOSTILA CONCURSO PC/SP 2018 - DIVERSOS CARGOS
CURSOS CONCURSO PC/SP -  DELEGADO / AGENTE/ ESCRIVÃO/ PERITOCRIMINAL/ INVESTIGADOR

 

Com taxa de R$ 84,81, as inscrições foram recebidas até 11 de maio. Do total de vagas em disputa, 13 são reservadas a pessoas com deficiência. Ao todo, a seleção registrou 23.575 inscritos.  

 

Sobre as provas do concurso da Polícia Civil de São Paulo 2018

 

A prova preambular teve 100 questões de múltipla escolha sobre informática, legislação especial, medicina legal e conhecimentos em direito penal, processual penal, constitucional, direitos humanos, administrativo e civil.

 

A aplicação ocorreu em Araçatuba, Bauru, Campinas, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo e Sorocaba.

 

Os candidatos com melhores notas na primeira fase do concurso da Polícia Civil SP realizarão, na sequência, exame escrito contendo uma pergunta dissertativa e quatro discursivas. As questões serão corrigidas considerando três aspectos: domínio da norma culta, coesão e coerência textual.

 

Válida pela terceira etapa, a avaliação oral, gravada em áudio e vídeo, versará sobre as disciplinas de direito penal, processual penal, constitucional, administrativo e direitos humanos, além de legislação especial. A banca analisará cinco quesitos: domínio do conhecimento jurídico, adequação da linguagem, articulação do raciocínio, capacidade de argumentação e uso correto do vernáculo. 

 

Os aprovados na fase oral do concurso da PC SP 2018 serão convocados para apresentação de títulos, na Academia de Polícia (praça Professor Reinaldo Porchat, 219, Cidade Universitária, São Paulo). Além de cursos de especialização, mestrado e doutorado, os concorrentes poderão obter pontos por publicação de livro ou artigo e exercício de docência em curso superior.

 

Quem passar por todas as etapas seletivas realizará, por fim, curso de formação técnico-profissional na Academia de Polícia “Dr. Coriolano Nogueira Cobra”, localizada na capital. Para definição da lotação, a classificação obtida no treinamento determinará a ordem da escolha das vagas nas unidades disponibilizadas pela PC/SP.

 

De acordo com o edital, o concurso da Polícia Civil de São Paulo para delegado terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério do órgão. 

 

Atribuições do delegado no concurso da Polícia Civil SP 2018

 

Exercer atos inerentes à gestão dessa atividade; presidir os atos de polícia judiciária e a apuração das infrações penais, praticar atos de polícia administrativa e exercer policiamento preventivo especializado, presidir a investigação criminal e as ações a ela relacionadas, dentre as quais aquelas previstas no Código de Processo Penal e na legislação extravagante; portar arma e atuar com possibilidade de exposição a situações de risco; mediar conflitos.

 

Conteúdo programático parcial para o concurso de delegado da Polícia Civil SP 2018

 

Informática - MS-Windows 7: conceito de pastas, diretórios, arquivos e atalhos, área de trabalho, área de transferência, manipulação de arquivos e pastas, uso dos menus, programas e aplicativos, interação com o conjunto de aplicativos MS-Office 2010. MS-Word 2010: estrutura básica dos documentos, edição e formatação de textos, cabeçalhos, parágrafos, fontes, colunas, marcadores simbólicos e numéricos, tabelas, impressão, controle de quebras e numeração de páginas, legendas, índices, inserção de objetos, campos predefinidos, caixas de texto. MS-Excel 2010: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas e gráficos, elaboração de tabelas e gráficos, uso de fórmulas, funções e macros, impressão, inserção de objetos, campos predefinidos, controle de quebras e numeração de páginas, obtenção de dados externos, classificação de dados. MS-PowerPoint 2010: estrutura básica das apresentações, conceitos de slides, anotações, régua, guias, cabeçalhos e rodapés, noções de edição e formatação de apresentações, inserção de objetos, numeração de páginas, botões de ação, animação e transição entre slides. Correio Eletrônico: uso de correio eletrônico, preparo e envio de mensagens, anexação de arquivos. Internet: navegação na Internet, principais navegadores, conceitos de URL, links, sites, busca e impressão de páginas.

 

Medicina legal - Medicina Legal: conceito; da necessidade e da utilidade da Medicina Legal nos diversos ramos do Direito. Perícia e perito: conceitos; da necessidade da perícia no Direito; da atuação do perito nos diversos ramos do Direito; da manifestação dos peritos; documentos médico-legais. Traumatologia médico-legal. Toxicologia médico-legal. Asfixiologia médico-legal. Tanatologia médico-legal. Lei sobre Transplante e Doação de Órgãos (Lei 9.434/97). Sexologia médico-legal: dos crimes contra a dignidade sexual; do abortamento e do infanticídio. Psicologia e Psicopatologia médico-legais. Identidade e identificação: identificação policial ou judicial e identificação antropológica, incluindo-se a genética. Infortunística.

 

Legislação especial -  Decreto-lei 3.688/1941 (Lei das Contravenções Penais). Lei 1.521/1951 (Crimes Contra a Economia Popular). Lei 2.889/1956 (Genocídio). Lei 4.737/1965 (Crimes Eleitorais). Lei 4.898/1965 (Lei de Abuso de Autoridade). Lei 6.766/1979 (Lei de Parcelamento do Solo Urbano). Lei 7.210/1984 (Lei de Execução Penal). Lei 7.492/1986 (Crimes contra o Sistema Financeiro Nacional). Lei 7.716/1989 (Preconceito racial). Lei 7.960/1989 (Prisão Temporária). Lei 8.069/1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente). Lei 8.072/1990 (Lei dos Crimes Hediondos). Lei 8.078/1990 (Código de Defesa do Consumidor). Lei 8.137/1990 (Crimes Contra a Ordem Tributária). Lei 8.176/1991 (Crimes Contra a Ordem Econômica). Lei 8.666/1993 (Lei de Licitações). Lei 8.906/1994 (Estatuto da OAB). Lei 9.029/1995 (Práticas discriminatórias relativas à gravidez no trabalho). Lei 9.099/1995 (Juizados Especiais Cíveis e Criminais). Lei 9.279/1996 (Lei da propriedade industrial). Lei 9.296/1996 (Lei de Interceptação Telefônica). Lei 9.434/1997 (Lei do Transplante de Órgãos). Lei 9.455/1997 (Tortura). Lei 9.503/1997 (Código de Trânsito Brasileiro). Lei 9.605/1998 (Lei do Meio Ambiente). Lei 9.609/1998 (Lei do Software). Lei 9.610/1998 (Lei sobre Direitos Autorais). Lei 9.613/1998 (Lavagem de Capitais). Lei 9.807/1999 (Programa de Proteção à Testemunha). Lei 10.671/2003 (Estatuto de Defesa do Torcedor). Lei 10.741/2003 (Estatuto do Idoso). Lei 10.826/2003 (Estatuto do Desarmamento). Lei 11.101/2005 (Lei de Recuperação de Empresas e Falência). Lei 11.105/2005 (Lei de Biossegurança). Lei 11.340/2006 (Lei Maria da Penha). Lei 11.343/2006 (Lei Antidrogas). Lei 12.037/2009 (Identificação Criminal do Civilmente Identificado). Lei 12.288/2010 (Estatuto da Igualdade Racial). Lei 12.830/2013 (Investigação Criminal Conduzida pelo Delegado). Lei 12.850/2013 (Lei de Combate às Organizações Criminosas). Lei 12.852/2013 (Estatuto da Juventude). Lei 12.984/2014 (Lei discriminação de portadores de HIV). Lei 13.146/2015 (Estatuto da Pessoa com Deficiência. Lei 13.257/2016 (Políticas Públicas para a Primeira Infância). Lei 13.260/2016 (Lei Antiterrorismo). Lei 13.445/2017 (Lei de Migração).

 

Confira o conteúdo programático completo para o concurso da Polícia Civil de São Paulo

 

Atualizado: 30/07/2018 - 12:28

PC RR: EDITAL do concurso sai no próximo dia 17

Oportunidades serão distribuídas por diversos cargos e salários chegam a R$ 18 mil. Inscrições começam em agosto, com provas em dezembro

Veja cronograma

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A governadora de Roraima, Suely Campos, anunciou, na última sexta-feira, 27 de julho, que a publicação do edital do aguardado novo concurso público da Polícia Civil  do estado (PC/RR) ocorrerá já no próximo dia 17 de agosto.  O cronograma do certame também já foi anunciado, com inscrições marcadas para ocorrer no período de 31 de agosto a 16 de outubro e aplicação das provas objetivas nos dias 15 e 16 de dezembro. “Será um marco este segundo concurso para a Polícia Civil, já tivemos muitas vitórias como melhoria nas viaturas, equipamentos, inauguração de Distritos, e mais recentemente a quebra do interstício com a antecipação da promoção em três anos e a sonhada aposentadoria especial. Agora é hora de aumentar o quadro de pessoal para melhorar ainda mais o trabalho da instituição", disse a governadora, na ocasião.

A banca organizadora, já definida, será a Fundação Vunesp.

  Embora a intenção inicial fosse de oferecer 330 vagas, as últimas informações são de que o certame contará com 315 postos, sendo 35 delegados, seis médicos legistas, dois odontolegistas,  14 peritos criminais, 120 escrivães, 100 agentes de polícia, 23 para auxiliar de perícia criminal e 15 auxiliares de necropsia.    Para os cargos de auxiliar de necropsia e auxiliar de papiloscopista é exigido ensino médio, com remuneração inicial de R$ 2.647,03. Para as demais carreiras, com necessidade de nível superior, o inicial é de R$ 3.970,56, exceto para delegado, com inicial de R$ 18.387.      

Último concurso

  A última seleção da PC/RR ocorreu em 2003, quando foram oferecidas 930 vagas, sendo 25 para médico-legista, cinco para odonto-legista, 30 para perito criminal, 20 para auxiliar de necropsia, 20 para perito criminal, 100 para escrivão, 400 para a gente de polícia, 200 para agente carcerário, 30 para perito papiloscopista e 100 para delegado.   A banca organizadora foi o Cespe/UnB.             

Atualizado: 23/07/2018 - 16:04

Assembleia/GO: novo concurso público terá 80 vagas

Concurso Alego abrirá 59 oportunidades imediatas distribuídas em carreiras com exigência de de diversos níveis de escolaridade

Para vários cargos

Por JCConcursos - Camila Diodato

Boa notícia para quem aguarda o novo concurso da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). Acontece que o certame agora abrirá 80 vagas e não mais 59, como anunciado anteriormente.

Segue confirmado que o edital será publicado no segundo semestre deste ano. O próximo passo é a escolha da banca organizadora.

A realização do concurso da Alego tem o intuito de reduzir o quantitativo de comissionados, além de profissionalizar mais o quadro de servidores. “Precisamos, cada vez mais, qualificar o quadro de servidores da Casa, trazendo pessoas que irão se identificar com o Poder. Nós, deputados, somos passageiros, mas os servidores permanecerão aqui”, afirmou Vitti.

Cargos do concurso Alego 2018

Candidatos com formação superior poderão concorrer aos cargos de engenheiro eletricista (1 vaga), engenheiro civil (1), arquiteto (2), arquivologista (2), psicólogo organizacional (2), segurança da informação (2), médico cardiologista (1), médico clínico (1), médico ginecologista (1), médico ortopedista (1), médico psiquiatra (1), fisioterapeuta (2), contador (25), médico do trabalho (2), engenheiro do trabalho (1), enfermeiro do trabalho (2), assistente social (2), revisor ortográfico (6), cirurgião dentista (2), comunicador social  (5), procurador (2).

As carreiras com exigência de ensino médio e/ou curso técnico serão as de tradutor intérprete de libras (2), policial legislativo (30), técnico de segurança do trabalho (2) e técnico em enfermagem do trabalho (2).

 

Último concurso da Assembleia Legislativa de Goiás

 

Em 2015, o órgão lançou seleção com 76 vagas distribuídas entre diversas carreiras com exigência de níveis médio e superior. A banca organizadora foi o Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Candidatos com ensino médio estavam aptos para assistente administrativo (31), assistente de suporte em TI (4), operador técnico (1), programador de computador (5), técnico em gravação e som (1) e técnico em processamento de dados e telecomunicações (5).

Diploma de formação superior foi requisito para analistas de dados (4), redes e comunicação de dados (4) e de sistema (4); comunicador social (2), contador (1), pesquisador legislativo (6), programador visual (2), revisor taquígrafo (2) e taquígrafo (4).

A seleção aconteceu por meio de provas objetivas, redação, testes práticos e análise de títulos, de acordo com a função pretendida.

Atualizado: 16/07/2018 - 09:29

Concurso PM PE: último dia de inscrição para 580 vagas

As chances no concurso da Polícia Militar do Estado de Pernambuco (PM/PE) são para candidatos de níveis médio e superior. Os salários chegam a R$ 9 mil

Para oficial e soldado

Por JCConcursos - Patricia Lavezzo

Chegam ao fim nesta segunda-feira (16) as inscrições para soldado do concurso da Polícia Militar do Estado de Pernambuco (PM/PE). Para oficiais, o prazo se encerrou no dia 8 de julho.

A seleção visa o provimento de 580 vagas, sendo 500 destinadas ao cargo de soldado, 60 para oficial da PM e de 20 para oficial do Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco. 

Para ingressar na carreira de soldado é necessário possuir ensino médio completo, carteira de habilitação na categoria “B”, altura mínima de 1,60m para as mulheres e 1,65 para os homens e idade entre 18 e 28 anos. O salário inicial é de R$ 2.819,88. 

APOSTILAS CONCURSO PM PE 2018 - SOLDADO PM / OFICIAL PM / OFICIAL BM
CURSO PARA O CONCURSO PM PE 2018

Para oficial da PM a exigência é de nível superior em direito, enquanto que oficial bombeiro militar requer curso superior em qualquer área de conhecimento. Ambas as funções ainda demandam carteira de habilitação na categoria “B”, altura mínima de 1,60m para as mulheres e 1,65m para os homens e idade entre 18 e 28 anos. A remuneração do segundo-tenente PM/bombeiro militar é de R$ 9.007,56.

 

Como participar do concurso da PM PE 2018

 

O Instituto de Apoio à Fundação Universidade de Pernambuco - IAUPE será o responsável pela organização e execução do processo de seleção. As inscrições devem ser realizadas exclusivamente pela internet, através do endereço eletrônico www.upenet.com.br.  

Será cobrada uma taxa de participação do concurso da PM/PE, nos valores de R$ 135 para soldado e R$ 150 para oficiais, e o seu pagamento deverá ser efetuado até a data limite do prazo, observado o horário de funcionamento da rede bancária. 

 

Provas do concurso da PM PE 2018

 

A primeira etapa a ser disputada pelos candidatos será a prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório. Ela contará com questões de múltipla escolha que versarão sobre as disciplinas de língua portuguesa, interpretação de texto, matemática, geografia, história, língua estrangeira (inglês ou espanhol), estatística básica, raciocínio lógico, conhecimentos de informática, conhecimentos de direitos e garantias fundamentais, ciências da natureza e suas tecnologias e/ou conhecimentos jurídicos. 

A avaliação será aplicada nas cidades de Recife e região metropolitana, Nazaré da Mata, Caruaru, Garanhuns, Arcoverde e/ou Petrolina nos dias 12 de agosto para oficiais e 26 de agosto para soldado. 

Apenas os cargos de oficiais realizarão a prova discursiva, eliminatória e classificatória, na mesma data da objetiva. Ela será composta por uma redação que abordará tema sobre o qual o participante deverá discorrer em um mínimo de 20 e máximo de 30 linhas.

O concurso da PM/PE para todos os postos ainda contará com as seguintes etapas, eliminatórias: exames médicos; exames de aptidão física; avaliação psicológica; investigação social; e curso de formação. 

 

Atribuições dos cargos da PM PE

 

Soldado PM - realizar policiamento ostensivo preventivo fardado; atender e solucionar ocorrências; executar atividades operacionais e policiamento reservado; restabelecer ordem pública; controlar distúrbios civis; executar outras tarefas.

Oficial PM - Comandar pelotões e companhias de Polícia Militar; coordenar serviços  operacionais; atuar nas ações de prevenção e repressão qualificada à criminalidade e à violência, em especial, aos crimes letais intencionais; planejar atividades operacionais e administrativas relativas a recursos humanos, financeiros e logísticos; atuar como autoridade policial de polícia judiciária militar e de polícia administrativa; desenvolver processos e procedimentos administrativos disciplinares; promover estudos técnicos e pesquisa policial militar; desenvolver atividades de ensino e instrução, bem como cuidar das informações e da comunicação social da Polícia Militar de Pernambuco, cargo constante no Artigo 14 da Lei Estadual n° 6783, de 16 de outubro de 1974.

Oficial bombeiro militar - Comandar pelotões e postos de bombeiros do Corpo de Bombeiros Militar; coordenar serviços operacionais; atuar nas ações de salvamento, combate a incêndio e atendimento pré-hospitalar, realizar vistorias técnicas, e ser capaz de realizar tarefas variadas, reconhecendo as condições de segurança, a cena e a situação da ocorrência. Ter capacidade de utilizar adequadamente os Equipamentos de Proteção Individual (EPI). Planejar atividades operacionais e administrativas relativas a recursos humanos, financeiros e logísticos; atuar como autoridade de polícia judiciária militar; desenvolver processos e procedimentos administrativos disciplinares; promover estudos técnicos e pesquisa bombeiro militar; desenvolver atividades de ensino e instrução, bem como cuidar das informações e da comunicação social do Corpo de Bombeiros Militar, cargo constante no Artigo 14 da Lei Estadual n° 6783, de 16 de outubro de 1974.

Atualizado: 11/07/2018 - 09:14

Concurso PC GO: último dia de inscrição para delegado

Carreira na Polícia Civil do Estado de Goiás é destinada a bacharéis em direito. A remuneração é de R$ 19,2 mil

100 vagas

Por JCConcursos - Samuel Peressin

Encerra-se nesta quarta-feira (11) o prazo de inscrição do concurso para delegado da Polícia Civil de Goiás (PC/GO). Serão preenchidas 100 vagas, sendo cinco reservadas a pessoas com deficiência.

 

A carreira apresenta remuneração inicial de 19.242,52 e pode ser disputada por profissionais com curso superior em direito. Os contratados atuarão em delegacias no interior do Estado e terão jornada semanal de 40 horas.

 

Organizado pelo Núcleo de Seleção da Universidade Estadual de Goiás (UEG), o processo seletivo recebe inscrições através de cadastro no site www.nucleodeselecao.ueg.br. O valor da taxa é de R$ 200.

 

Etapas do concurso da PC/GO 2018

 

A seleção envolverá oito fases. Na primeira delas, em 12 de agosto, os candidatos realizarão prova objetiva. Depois, entre 25 e 27 de setembro, serão aplicadas as avaliações discursivas.

APOSTILAS CONCURSO PC/GO 2018 - DELEGADO
CURSO CONCURSO PC/GO 2018 - DELEGADO

O conteúdo programático para as avaliações objetiva e escrita do concurso da Polícia Civil/GO inclui: criminologia; medicina legal; legislação estadual; realidade étnica, social, histórica, geográfica, cultural, política e econômica de Goiás e do Brasil; legislação penal e processual penal extravagante; e conhecimentos em direito penal, processual penal, constitucional, administrativo, civil e empresarial, eleitoral, tributário e ambiental.

 

As outras etapas do certame são: teste físico, avaliação médica, exame psicotécnico, investigação social, curso de formação profissional e análise de títulos, em datas a serem definidas. Todas as fases estão previstas para ocorrer em Goiânia e/ou Aparecida de Goiânia.

 

De acordo com o edital, o concurso da Polícia Civil de Goiás terá validade de seis meses, prorrogável por mais seis, a critério da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Administração Penitenciária. 

 

Atribuições do delegado no concurso da Polícia Civil/GO 2018

 

Instaurar e presidir, com exclusividade, inquéritos policiais, termos circunstanciados de ocorrência e outros procedimentos policiais legais para a apuração de infração penal ou ato infracional; exercer atribuições previstas na legislação processual penal de competência da autoridade policial; dirigir, coordenar, supervisionar e fiscalizar as atividades logísticas e finalísticas da unidade sob sua direção; determinar intimações e, em caso de não comparecimento injustificado, condução coercitiva; requisitar a realização de exames periciais e complementares, destinados a colher e resguardar indícios ou provas da ocorrência de infrações penais ou de quaisquer outros exames que julgar imprescindíveis à elucidação do fato investigado; representar à autoridade judiciária competente pela decretação de prisões e medidas cautelares e pela concessão de mandados de busca e apreensão domiciliar; fazer realizar as diligências requisitadas pelo Juízo Penal ou pelo representante do Ministério Público; fazer cumprir mandados de prisão expedidos pela autoridade judiciária; conceder liberdade provisória mediante fiança, arbitrando-a nos termos da lei processual penal; adotar medidas necessárias ao controle da criminalidade; atender o público, encaminhando providências e determinando o registro de ocorrências policiais; orientar equipes subordinadas, visando à coordenação, ao controle e ao desenvolvimento técnico do trabalho policial; dirigir-se, quando possível, aos locais de crime, ou determinar quem o faça, providenciando para que não se alterem, enquanto necessário, o estado e a conservação das coisas, supervisionando todos os atos; cumprir e fazer cumprir as ordens, normas e instruções emanadas de superior hierárquico; fornecer a seus subordinados ordem de serviço, por escrito, das ações que a eles determinar.

 

Conteúdo programático parcial para o concurso da Polícia Civil de Goiás

 

Criminologia – 1 Criminologia. 1.1 Conceito. 1.2 Métodos: empirismo e interdisciplinaridade. 1.3 Objetos da criminologia: delito, delinquente, vítima, controle social. 2 Funções da criminologia. 2.1 Criminologia e política criminal. 2.2 Direito penal. 3 Modelos teóricos da criminologia. 3.1 Teorias sociológicas. 3.2 Prevenção da infração penal no Estado democrático de direito. 3.3 Prevenção primária. 3.4 Prevenção secundária. 3.5 Prevenção terciária. 3.6 Modelos de reação ao crime.

 

Legislação penal e processual penal extravagante – Decreto-Lei n. 3.688/1941 - Lei das Contravenções Penais Lei n. 1.521/1951 - Lei dos Crimes contra a Economia Popular Lei n. 2.889/1956 - Lei do Crime de Genocídio Lei n. 4.898/1965 - Lei do Abuso de Autoridade Lei n. 7.492/1986 - Lei dos Crimes contra o Sistema Financeiro Nacional Lei n. 7.716/1989 - Lei dos Crimes resultantes de Preconceito de Raça ou de Cor Lei n. 7.960/1989 - Lei de Prisão Temporária Lei n. 8.069/1990 - Da prática de ato infracional. Da apuração de ato infracional atribuído a adolescente. Da infiltração de agentes de polícia para a investigação de crimes contra a dignidade sexual de criança e de adolescente. Dos Crimes contra a criança e o adolescente. Lei n. 8.072/1990 - Lei dos Crimes Hediondos. Lei n. 8.078/1990 - Crimes contra o Consumidor. Lei n. 8.137/1990 - Lei dos Crimes contra a Ordem Tributária, Econômica e contra as Relações de Consumo. Lei n. 8.666/1993 - Crimes tipificados na Lei das Licitações. Lei n. 9.099/1995 - Lei dos Juizados Especiais Criminais. Lei n. 9.296/1996 - Lei da Interceptação de Comunicações Telefônicas. Lei n. 9.434/1997 - Crimes tipificados na Lei de Transplantes. Lei n. 9.455/1997 - Lei de Tortura. Lei n. 9.503/1997 - Crimes de Trânsito. Lei n. 9.605/1998 - Lei dos Crimes Ambientais. Lei n. 9.613/1998 - Lei da Lavagem de Dinheiro. Lei n. 10.671/2003 - Crimes tipificados no Estatuto de Defesa do Torcedor. Lei n. 10.741/2003 - Crimes tipificados no Estatuto do Idoso. Lei n. 10.826/2003 - Estatuto do Desarmamento. Lei n. 11.101/2005 - Disposições penais da Lei de Falências. Lei n. 11.340/2006 - Lei Maria da Penha. Lei n. 11.343/2006 - Lei de Drogas. Lei n. 12.403/2011 - Lei de Medidas Cautelares. Lei n. 12.830/2013 - Lei de Investigação Criminal. Lei n. 12.850/2013 - Lei das Organizações Criminosas. Lei n. 13.146/2015 - Crimes tipificados no Estatuto da Pessoa com Deficiência. Lei n. 13.260/2016 - Lei do Terrorismo.

 

Direito eleitoral – 1 Lei Federal nº 4.737/1965 e suas alterações (Código Eleitoral). 1.1 Introdução. 1.2 Órgãos da justiça eleitoral. 1.2.1 Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 1.2.2 Tribunais Regionais Eleitorais. 1.2.3 Juízes eleitorais e juntas eleitorais: composição, competências e atribuições. 1.3 Alistamento eleitoral: qualificação e inscrição, cancelamento e exclusão. 2 Lei Federal nº 9.504/1997. 2.1 Disposições gerais. 2.2 Coligações. 2.3 Convenções para escolha de candidatos. 2.4 Registro de candidatos. 2.5 Sistema eletrônico de votação e totalização dos votos. 3 Lei Federal nº 9.096/1995. 3.1 Disposições preliminares. 3.2 Filiação partidária. 4 Resolução do TSE nº 21.538/2003. 4.1 Alistamento eleitoral. 4.2 Transferência de domicílio eleitoral. 4.3 Segunda via da inscrição. 4.4 Restabelecimento de inscrição cancelada por equívoco. 4.5 Formulário de atualização da situação do eleitor. 4.6 Título eleitoral. 4.7 Acesso às informações constantes do cadastro. 4.8 Restrição de direitos políticos. 4.9 Revisão do eleitorado. 4.10 Justificação do não comparecimento à eleição (com a alteração do Acórdão do TSE nº 649/2005).

 

Confira o conteúdo programático completo para o concurso de delegado da Polícia Civil de Goiás

APOSTILAS CONCURSO PC/GO 2018 - DELEGADO

Atualizado: 10/07/2018 - 09:58

Concurso PC MG: SAIU edital com 119 postos de escrivão

Oportunidades do concurso da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais são para candidatos que concluíram o nível superior em qualquer área de conhecimento

Salário de R$ 4 mil

Por JCConcursos - Patricia Lavezzo

A Polícia Civil do Estado de Minas Gerais (PC MG) publicou o aguardado edital de abertura das inscrições do concurso público para o cargo de escrivão de polícia. Sob organização da FUMARC, a seleção preencherá 119 vagas. 

Para ingressar na carreira é necessário possuir diploma de conclusão de curso de nível superior em qualquer área de conhecimento, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). A remuneração inicial é de R$ 4.098,39 para carga horária semanal de 40 horas. 

Interessados em concorrer a uma das vagas deverão se inscrever nos endereços eletrônicos http://acadepol.policiacivil.mg.gov.br e www.fumarc.com.br no período das 9h de 12 de setembro às 23h de 22 de outubro. O valor da taxa de participação é de R$ 160 e o seu pagamento deverá ser efetuado até a data limite de 23 de outubro. 

• APOSTILA CONCURSO POLÍCIA CIVIL/MG 2018 - ESCRIVÃO DE POLÍCIA

• CURSO PARA O CONCURSO POLÍCIA CIVIL/MG 2018 - ESCRIVÃO DE POLÍCIA

O candidato que tiver dificuldade de acesso à internet poderá, pessoalmente ou através de procurador constituído, exceto nos dias de sábado, domingo e feriado, no horário das 9 às 17h, efetivar a sua inscrição, em Belo Horizonte, na sede da Acadepol, situada na Rua Oscar Negrão de Lima, nº 200, bairro Nova Gameleira, e no interior, nas sedes das delegacias de Polícia Civil de Minas Gerais, onde encontrará equipamento de informática destinado a este fim.

 

Provas do concurso da PC MG 2018

 

A primeira etapa a ser disputada pelos candidatos será a prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório. Ela contemplará 60 questões de múltipla escolha, sendo seis de direitos humanos, 20 de língua portuguesa, cinco de noções de criminologia, dez de noções de direito, 14 de noções de informática e cinco de noções de medicina legal.

Com duração máxima de quatro horas, a avaliação será aplicada na cidade de Belo Horizonte/MG no dia 2 de dezembro, em locais e horários a serem comunicados no edital de convocação, a ser publicado em momento oportuno. 

Somente serão convocados para a próxima fase, prova prática de digitação, eliminatória, os 714 candidatos de melhor pontuação habilitados na objetiva. A prova será realizada em microcomputador desktop arquitetura Windows, teclado Português Brasil ABNT2 e editor de texto (writer do LibreOffice 6 ou superior, em plataforma Microsoft Windows).

O concurso da PC MG ainda contará com as seguintes etapas: exames biomédicos e biofísicos, de caráter eliminatório; análise de títulos, classificatória; e investigação social, eliminatória.

 

Atribuições do escrivão de polícia da PC MG

 

Registrar em termo declarações, depoimentos e informações de autores, suspeitos, vítimas, testemunhas, adolescente infrator e demais pessoas envolvidas nos procedimentos de polícia judiciária, mediante inquirição do delegado de polícia competente, cooperando na formulação das perguntas a serem respondidas; lavrar os autos de prisão em flagrante, sob a presidência e direção do delegado de polícia, e expedir as respectivas comunicações pertinentes às prisões; realizar a autuação, movimentação, remessa e recebimento dos inquéritos policiais, processos e demais procedimentos legais; formalizar autos e termos de apreensões, depósitos, restituições, fianças, acareações e reconhecimentos de pessoas e coisas, dentre outros previstos na legislação processual penal, alusivos aos procedimentos investigatórios, utilizando-se de técnicas de digitação, ressalvados os atos próprios da autoridade policial; expedir e subscrever notificações, intimações, ofícios, ordens de serviço, requisições e outros atos atinentes ao desenvolvimento dos inquéritos policiais, termos circunstanciados de ocorrência, processos e procedimentos de ato infracional e disciplinares, por ordem escrita do delegado de polícia competente; certificar a autenticidade de documentos no âmbito da PC MG; cooperar com as investigações em curso na unidade policial por meio do efetivo desempenho de atividades técnicas de gestão e análise técnico-científica e do processamento eletrônico dos dados e informações existentes em bancos de dados e outros registros cartorários; assessorar o Delegado de Polícia ao qual estiver subordinado quanto aos prazos, técnicas e formalidades legais dos procedimentos de polícia judiciária e demais atividades jurídicas desenvolvidas no âmbito do cartório policial; coordenar, sob a direção e presidência do delegado de polícia, os atos dos procedimentos investigatórios previstos em lei e adotar normas técnicas e jurídicas para o cumprimento das formalidades processuais; acompanhar o delegado de polícia em operações policiais e outras diligências externas, quando determinado; realizar a gestão do cartório policial sob sua responsabilidade.


Ads

Revisão presencial para PC-MG. Inscreva-se!

No dia 1º de dezembro, acontecerá um aulão presencial em Belo Horizonte com dicas de reta final para o concurso PC-MG de Escrivão. É a sua oportunidade de revisar os principais temas de cada disciplina, e, assim, garantir aqueles pontos necessários para que você seja nomeado no concurso!


 

 

   

Atualizado: 05/07/2018 - 09:36

Concurso PM SE 2018: SAIU gabarito da prova objetiva

Seleção reúne 300 postos para soldado, com exigência de nível médio, e 30 para oficial, destinados a bacharéis em direito. Concurso da PM SE oferece salários de até R$ 9,2 mil

1ª fase

Por JCConcursos - Samuel Peressin

concurso da Polícia Militar do Estado de Sergipe (PM SE) para soldado (300 postos) e aluno oficial (30) teve as provas da primeira fase aplicadas no último domingo (1). O gabarito preliminar da avaliação objetiva já pode ser conferido aqui

 

O processo seletivo cobra ensino médio para soldado e curso superior em direito para oficial, além de idade entre 18 e 35 anos e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) categoria "B" ou superior. A altura mínima admitida é de 1,60m para mulheres e 1,65m para homens.

APOSTILAS CONCURSO PM SE 2018 - SOLDADO
CURSO CONCURSO PM SE 2018 - SOLDADO E OFICIAL

Durante o curso de formação, a remuneração será de R$ 954 (equivalente a um salário mínimo) para soldado e R$ 4.618,19 para aluno oficial. Após a aprovação no treinamento, os vencimentos passam para R$ 3.370 e R$ 9.236,39, respectivamente.

APOSTILAS CONCURSO PM SE 2018 - OFICIAL

 

O concurso da PM/SE é organizado pelo Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC). A banca recebeu inscrições até 24 de maiopor meio do site www.ibfc.org.br. O número total de concorrentes é de 69.281 para o cargo de soldado e 7.226 para oficial. 

 

Distribuição das vagas no concurso da PM/Sergipe 2018

 

No caso das oportunidades de ampla concorrência para soldado, 240 são para homens e 60 para mulheres. A cota para negros reserva 24 postos para concorrentes do sexo masculino e seis do feminino.

 

Já para aluno oficial, são 24 vagas para homens (duas destinadas a negros) e sete para mulheres (uma exclusiva para participantes que se declararem negras).

 

Saiba mais sobre as provas do concurso da PM/SE

 

O concurso da PM/SE 2018 envolverá provas objetiva (ambos os cargos) e discursiva (apenas para aluno oficial), com duração de quatro horas e aplicação em municípios da região metropolitana de Aracaju.


Ads

Prepare-se para o Concurso PM-SE 2018

Tenha uma preparação completa para o Concurso PM-SE com os materiais mais completos e atualizados do mercado. Clique Aqui.

A avaliação trará 90 questões para soldado abordando conteúdos de língua portuguesa, matemática, informática, atualidades, noções de direito e conhecimentos gerais sobre o Estado de Sergipe.

 

Para aluno oficial, serão 40 perguntas versando sobre conhecimentos em legislação institucional/extravagante e direito nas áreas constitucional, penal militar, penal, processual penal militar, processual penal e administrativo. A redação deverá conter entre 20 e 30 linhas. 

 

A seleção inclui, ainda, teste de aptidão física, avaliação psicológica e pesquisa da conduta social, da reputação e idoneidade, todas de caráter eliminatório.

 

De acordo com os editais, o concurso da PM/SE terá validade de dois anos, prorrogável por mais dois, a critério da corporação.

 

Atribuições do soldado no concurso da PM/SE

 

Desempenhar atividade ostensiva policial militar nas diversas tarefas atribuídas à Polícia Militar, visando à preservação da ordem pública. Promover a segurança pública, através de atividades preventivas e repressivas nos diversos tipos de policiamento (geral, trânsito urbano e rodoviário, meio ambiente, guardas e outros). Para tanto, a atuação do soldado compreende as seguintes atribuições específicas, dentre outras: a) realizar policiamento ostensivo fardado, reservado e velado; b) executar atividades operacionais diversas; c) atender e solucionar ocorrências policiais de modo a manter ou restabelecer a ordem pública; d) redigir boletins de ocorrência, relatórios e outros documentos administrativos; e) estabelecer contatos com a comunidade, envolvendo-a na promoção da segurança pública; f) preservar e manter os materiais e instalações das Unidades Militares; g) estar em condições de conduzir e operar viaturas policiais, mantendo sempre a CNH dentro das exigências legais (validade);  h) realizar serviços de limpeza e manutenção de dependências viaturas, materiais e equipamentos; i) pautar suas ações em preceitos éticos, técnicos e legais. Executar outros serviços previstos em leis, regulamentos e normas.

 

O que vai cair na prova para soldado no concurso da PM/SE 2018

 

Língua portuguesa – Compreensão e interpretação de textos. Ortografia: emprego das letras e acentuação gráfica. Classes de palavras e suas flexões. Processo de formação de palavras. Verbos: conjugação, emprego dos tempos, modos e vozes verbais. Regras gerais de concordância nominal e verbal. Regras gerais de regência nominal e verbal. Emprego do acento indicativo da crase. Colocação dos pronomes átonos. Funções sintáticas. Sinônimos, antônimos, homônimos e parônimos. Emprego dos sinais de pontuação.

 

Matemática – Conjuntos: conceito, igualdade, classificação, pertinência, inclusão, operações de união, interseção e diferença; Sistema de Numeração Decimal e outras bases de numeração; Operações com números naturais; problemas com as quatro operações; expressões numéricas; divisibilidade; múltiplos e divisores; números primos; fatoração; MDC e MMC e aplicações; Números Racionais: forma fracionária e forma decimal, operações e problemas; Medidas: unidades de medida (comprimento, massa, capacidade, superfície e volume); Grandezas Proporcionais: razão, proporção, regra de três simples e composta; porcentagem; juros simples; Equações do Primeiro e do Segundo Grau; Noções de Geometria Plana: Triângulos, quadriláteros, polígonos, semelhança, teorema de Pitágoras, áreas e volumes. Funções: tabelas, gráficos, estatísticas. Grau, quadrática, exponencial e logaritmos. Matrizes. Determinantes. Sistema Linear. Probabilidade e Estatística.

 

Informática – Conceitos, utilização e configuração de hardware e software em ambiente de microinformática. Sistema Operacional Windows (XP/7/8). Conceitos, utilização e configuração de hardware e software em ambiente de microinformática. Uso dos recursos, ambiente de trabalho, arquivo, pastas, manipulação de arquivos, formatação, localização de arquivos, lixeira, área de transferência e backup. Microsoft Office 2003/2007/2010 (Word, Excel e Power Point): Conceitos, organização, utilização, configuração e uso dos recursos: gerenciamento de arquivos, pastas, diretórios, planilhas, tabelas, gráficos, fórmulas, funções, suplementos, programas e impressão. Protocolos, serviços, tecnologias, ferramentas e aplicativos associados à Internet e ao correio eletrônico. Conceitos dos principais navegadores da Internet. Conceito de software livre. Conceitos de segurança da informação aplicados a TIC. Cópia de segurança (backup): Conceitos. Conceitos de ambiente de Redes de Computadores.

 

Atualidades – Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como: desenvolvimento sustentável, ecologia, tecnologia, energia, política, economia, sociedade, relações internacionais, educação, saúde, segurança e artes e literatura e suas vinculações históricas. Atualidades e contextos históricos, geográficos, sociais, políticos, econômicos e culturais referentes ao Brasil e ao Mundo e Noções de cidadania.

 

Conhecimentos gerais do Estado de Sergipe – Formação territorial de Sergipe. Formação e desmembramento de municípios sergipanos. Localização dos municípios de Sergipe. Aspectos climáticos de Sergipe. Principais relevos e ecossistemas de Sergipe. Bacias hidrográficas de Sergipe. A economia de Sergipe no período Colonial e Imperial. Governadores e Prefeitos do período republicano. O Patrimônio Histórico do Estado de Sergipe. Principais atividades econômicas de Sergipe. Aspectos populacionais de Sergipe.

 

Noções de direito – Direitos Humanos: histórico dos Direitos Humanos. Direitos Fundamentais, Direitos Sociais e Direitos Difusos, Direito Civis e Políticos. Violação dos Direitos Humanos. Segurança Pública e Cidadania. Constituição Federal Brasileira de 1988 e suas Emendas. Título I – Dos Princípios Fundamentais. Título II – Dos Direitos e Garantias Fundamentais. Emenda Constitucional n° 45/2004. Declaração Universal dos Direitos do Homem de 1948 (ONU). Convenção Americana de Direitos Humanos (Pacto de San José de Costa Rica). Decreto nº 4.229, de 13 de maio de 2002 – Dispõe sobre o Programa Nacional de Direitos Humanos – PNDH. Direito Constitucional: Formação Constitucional do Brasil. A Constituição de 1988: Origem e Objetivos fundamentais. Estrutura e Organização do Estado Brasileiro. Direito Constitucional Estadual e Municipal. Organização dos poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. Funções essenciais à justiça. O artigo 144 da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988: A missão constitucional das Polícias Militares. Direito Processo Penal: Inquérito policial e Ação Penal. Direito Administrativo: Princípios. Regime jurídico administrativo. Poderes da administração pública. Serviço Público. Atos administrativos. Contratos Administrativos e licitações. Bens públicos. Administração direta e indireta. Controle da Administração pública. Responsabilidade do Estado.

Atualizado: 29/06/2018 - 15:03

PC RJ: autorizado novo concurso para delegado

Ao todo serão oferecidas 16 vagas, para quem possui formação de nível superior em direito, com remuneração inicial de R$ 18,1 mil

Edital em breve

Por JCConcursos - Fernando Cezar Alves

A Polícia Civil do Rio de Janeiro (PC/RJ) deve realizar, ainda no decorrer do segundo semestre, um novo concurso público para o cargo de delegado. A seleção foi oficializada na última quarta-feira, 27 de junho, por meio de autorização publicada em diário oficial. Ao todo serão oferecidas 16 vagas e para concorrer é necessário possuir formação de nível superior em direito, com remuneração inicial de R$ 18.157,73, já considerando auxílio-alimentação de R$ 264.


Com a autorização, os próximos passos são formar a comissão responsável pelo certame e, em seguida, contratar a banca responsável pela aplicação das provas. Somente então poderá ser confirmada a data precisa de publicação do edital de abertura de inscrições.


Concurso anterior
A última seleção para delegado ocorreu em 2012, quando foram oferecidas 100 vagas. A banca, na ocasião, foi a Funcab.


O processo de seleção contou com provas objetivas, provas discursivas, avaliação de cunho oral, exame psicotécnico, prova de capacidade física, avaliação médica, investigação social, análise de títulos e curso de formação profissional.


A prova objetiva contou com 100 questões, sendo 20 de direito penal, 20 de direito processual penal, 20 de direito administrativo, 20 de direito constitucional, dez de direito civil e dez de medicina legal. Para direito civil e medicina legal, cada questão valeu dez pontos, enquanto para as demais disciplinas, cada questão valeu cinco.


Para a aprovação foi necessário atingir um mínimo de 50 pontos em cada disciplina, bem como na prova discursiva, que contou com três grupos, aplicados em dias diferentes.

O primeiro contou com quatro questões de direito penal e quatro de direito processual penal. No segundo, quatro de direito administrativo e quatro de direito constitucional.  No terceiro, quatro de medicina legal e quatro de direito civil

Shopping